… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

quarta-feira, 22 de março de 2017

22 de março



C. H. Spurgeon
Livro de Cheques do Banco da Fé

22 de março

“Dá graça aos humildes.” (Tg 4: 6., ARC, Pt)

Os corações humildes buscam graça, e, portanto, obtêm-na. Os corações humildes submetem-se às excelentes influências da graça, e, assim, esta lhes é concedida mais e mais abundantemente. Os corações humildes reclinam-se nos vales onde fluem os ribeiros da graça, e, assim, bebem deles. Os corações humildes estão agradecidos pela graça e dão ao SENHOR glória por ela, e, por isso, é compatível com a Sua honra conceder-lhes graça.



Vem, querido leitor, toma um lugar humilde. Sê pequeno na tua própria estima, para que o Senhor faça muito de ti. Talvez irrompa o suspiro: “Temo que não sou humilde.” Talvez esta seja a linguagem da verdadeira humildade. Alguns sentem-se ufanos de ser humildes, e esta é uma das piores espécies de orgulho. Nós somos necessitados, impossibilitados de qualquer solução, sem méritos, criaturas merecedoras do Inferno, e se não somos humildes, deveríamos sê-lo. Humilhemo-nos por causa dos nossos pecados contra a humildade, e então o Senhor nos dará a provar o Seu favor. É a graça que faz-nos humildes e a graça que encontra nesta humildade uma oportunidade para derramar mais graça. Desçamos para que possamos subir. Sejamos pobres em espírito para que Deus nos faça ricos. Sejamos humildes para que não necessitemos de ser humilhados, mas possamos ser exaltados pela graça de Deus.



Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: