… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

quinta-feira, 23 de março de 2017

23 de março


C. H. Spurgeon
Leituras Matutinas
23 de março

“O Seu suor tornou-se em grandes gotas de sangue, que corriam até ao chão.” (Lc 22:44, ARC, Pt)

A PRESSÃO mental originada na luta de nosso Senhor com a tentação, forçou de tal forma o Seu ser a uma excitação antinatural, que os Seus poros exsudaram grandes gotas de sangue que corriam até ao chão. Isto prova quão tremendo deve ter sido o peso do pecado, quando este foi capaz de esmagar o Salvador conforme foi mostrado até Ele exsudar grandes gotas de sangue! Isto demonstra o invencível poder do Seu amor. É uma observação muito bonita e antiga de Isaac Ambrose que a goma que ressume da árvore sem corte é sempre a melhor. Este precioso Canforeiro produziu aromas muito suaves quando foi ferido pelos látegos nodosos, e quando foi perfurado pelos pregos sobre a cruz; mas, vê, Ele produz a Sua melhor fragrância quando não intervém nem látego, nem prego, nem golpe. Isto manifesta a espontaneidade dos sofrimentos de Cristo, porque sem uma lança, o sangue fluiu livremente. Não houve necessidade de aplicar a sanguessuga ou a faca; ele fluiu espontaneamente. Não houve necessidade de que os príncipes clamassem: “Sobe, Oh poço”; pois ele fluiu por si mesmo em correntes carmesins. Se os homens experimentarem uma grande dor moral, o sangue aparentemente amontoa-se no coração. As bochechas ficam pálidas e sobrevém um desmaio; o sangue foi em direcção ao interior como se quisesse nutrir o homem interior, enquanto este passa pela prova. Mas vê o nosso Salvador na Sua agonia; Ele acha-se tão esquecido de Si mesmo, que a Sua agonia em vez de levar o sangue ao coração para nutrir-Se a Si mesmo, leva-o para fora até orvalhar a terra. A agonia de Cristo, porquanto ela o derrama no chão, descreve a plenitude da oferenda que Ele fez a favor dos homens.



Não percebemos nós quão intensa deve ter sido a luta pela qual Ele passou, e não ouviremos nós a Sua voz? “Ainda não resististes até ao sangue, combatendo contra o pecado.” Vede o Grande Apóstolo e Sumo-Sacerdote da nossa profissão, que sua até sangrar antes do que render-Se ao grande tentador das vossas almas.



Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: