… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

sábado, 25 de março de 2017

25 de março



C. H. Spurgeon
Leituras Matutinas
25 de março

“Com um beijo trais o Filho do homem?” (Lc 22:48, ARC, Pt)

“Os beijos do inimigo são enganosos.” Deixa-me estar em minha guarda quando o mundo colocar um rosto amoroso, porquanto ele quer, se possível, trair-me como fez meu ao Mestre, com um beijo. Sempre que um homem está para apunhalar a religião, ele normalmente professa uma muito grande reverência por ela. Deixa-me tomar cuidado com a hipocrisia de rosto fino, que é o escudeiro da heresia e da infidelidade. Conhecendo o engano da injustiça, que eu seja sábio como uma serpente para detetar e evitar os desígnios do inimigo. O jovem, falto de entendimento, foi desviado do bom caminho pelo beijo da mulher estranha: possa a minha alma ser tão graciosamente instruída todo este dia, que “as falinhas muito mansas” do mundo não possam ter efeito sobre mim. Espírito Santo, não me deixes a mim, um pobre e frágil filho do homem, ser traído com um beijo!

Mas, e se eu tivesse de ser culpado do mesmo maldito pecado como Judas, aquele filho da perdição? Eu fui batizado em nome do Senhor Jesus; eu sou um membro da sua Igreja visível; eu sento-me à mesa da comunhão: todos estes são tantos beijos dos meus lábios. Eu sou sincero neles? Se não, eu sou um traidor base. Eu vivo no mundo tão descuidadamente como os outros, e ainda faço uma profissão de ser um seguidor de Jesus? Então eu devo expor ao ridículo a religião, e levar os homens a falar mal do santo nome pelo qual sou chamado. Certamente, se eu agir assim inconsistentemente sou um Judas, e que era melhor para mim que eu nunca tivesse nascido. Atrevo-me a confiar que eu sou claro nesta matéria? Então, ó Senhor, mantêm-me assim. Ó Senhor, faz-me sincero e verdadeiro. Preserva-me de todo o caminho falso. Nunca me deixes trair o meu Salvador. Eu amo-Te, Jesus, e apesar de muitas vezes eu Te ofender, ainda eu desejo permanecer fiel até à morte. Ó Deus, não permitas que eu seja um crente muitíssimo altaneiro, e depois caia por fim no lago de fogo, porque eu traí o meu Mestre com um beijo.

Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: