… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

sábado, 25 de março de 2017

25 de março



C. H. Spurgeon
Livro de Cheques do Banco da Fé
25 de março

“Quando te deitares, não temerás; ao contrário, o teu sono será suave ao te deitares.” (Pv 3:24, ARC, Pt)

Provavelmente o leitor é obrigado a ficar na cama por doença! Suba as escadas sem aflição com esta promessa no seu coração: “Quando te deitares, não temerás.”



Quando à noite vamos para a cama, que esta palavra suavize a nossa almofada. Nós não nos podemos guardar no sono, mas o Senhor guardar-nos-á durante a noite. Os que se deitam sob a proteção do Senhor estão tão seguros como os reis e as rainhas nos seus palácios, e muito mais ainda. Se com o nosso deitar há um abandono de todos os cuidados e ambições, obteremos um refrigério nos nossos leitos tal como os ansiosos e os cobiçosos nunca encontram nos seus. Os sonhos maus serão desterrados, ou até se ocorrem, apagaremos a sua impressão, sabendo que são apenas sonhos.



Se assim dormirmos faremos bem. Quão docemente dormia Pedro quando até mesmo a luz do anjo não o acordou, e teve necessidade duma forte sacudidela na ilharga para que despertasse. E, nesta ocasião, ele estava sentenciado a morrer naquela manhã. Assim têm dormido os mártires antes de serem queimados. “Pois assim dá Ele aos Seus amados o sono.” Para termos um sono doce devemos ter vidas doces, temperamentos doces, meditações doces e um amor doce.


Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: