… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

terça-feira, 28 de março de 2017

28 de março

Aos Pés Do Mestre
(At the Master’s feet),
Compilado por Audie G. Lewis
das obras de
C. H. Spurgeon

28 de março SEM DESCULPA

“Orando, em todo o tempo, com toda a oração e súplica no Espírito, e vigiando nisto com toda a perseverança e súplica, por todos os santos.” (Ef 6:18, ARC, Pt)

Sobre que base pode alguém ser eximido do dever de orar? Resposta: Sobre nenhuma base. Não podes ser eximido apoiando-te na simples natureza humana porque se Deus salva os pecadores com base na oração e eu não oro, o que sou? As almas morrem, perecem, afundam-se no Inferno enquanto que o mecanismo estabelecido para a salvação é a oração e a pregação da Palavra e se eu restrinjo a oração, o que sou? Sem dúvida que a bondade humana partiu do meu peito e deixei de ser humano, e se é assim, não tem valor falar de comunhão com o divino. Aquele que não se compadece de um homem ferido e não procura aliviar a fome de alguém que morre de necessidade é um monstro. Mas o que não se apieda das almas que se estão afundando num fogo eterno, o que é?



Além disso, pode encontrar-se alguma desculpa no cristianismo para que abandone a oração? Eu respondo, não se encontra nenhuma desculpa no cristianismo mais que na natureza humana porque se Cristo nos salvou, Ele deu-nos do Seu Espírito: “Mas, se alguém não tem o Espírito de Cristo, esse tal não é dEle” (Rm 8:9, ARC, Pt). E qual era o Espírito de Cristo? Olhou Ele para Jerusalém e disse: “Eu creio que renuncio à cidade, ela está predestinada à destruição” e logo seguiu tranquilamente o Seu caminho? Não, Ele não o fez. Ele cria na predestinação mas essa verdade nunca esfriou o Seu coração. Ele chorou por Jerusalém e disse: “Jerusalém, Jerusalém, quantas vezes quis Eu ajuntar os teus filhos, como a galinha ajunta os seus pintos debaixo das asas, e tu não quiseste!”




A Bíblia, do princípio ao fim, num ano:  At 13-16

 Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: