… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

quinta-feira, 30 de março de 2017

30 de março



William MacDonald 
Um dia de cada vez
30 de março

“E sabemos que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o Seu propósito.” (Rm 8:28, ARC, Pt)

Este é um daqueles versículos que mais nos assombram, especialmente quando o caminho é áspero e difícil. Enquanto o vento sopra brandamente, não é difícil dizer: “Senhor, creio.” Mas, quando as tormentas da vida se levantam e açoitam contra nós, dizemos: “Ajuda a minha incredulidade.”


E ainda assim sabemos que o versículo é verdade. Deus faz com que todas as coisas contribuam juntamente para o bem. Sabemos porque a Bíblia o declara. A fé apropria-o, ainda quando não pode ver ou entender.



Sabemos que é verdade por causa do caráter de Deus. Se Ele é um Deus de amor, sabedoria e poder infinitos, então Ele está planeando e trabalhando para o nosso bem supremo.



Sabemos que é verdade porque esta foi sempre a experiência do povo de Deus. Conta-se a história do único sobrevivente de um naufrágio que foi arrojado para uma ilha desabitada. Fez o que pôde para construir uma choça, em que pôs tudo o que tinha salvo da tragédia. Orou a Deus para que fosse libertado e cada dia observava ansiosamente o horizonte para fazer sinais a qualquer navio que passasse. Um dia ficou horrorizado ao verificar que a sua choça ardia com grandes chamas; tudo o que tinha se elevava em fumaça. Mas aquilo que parecia ser o pior, em realidade foi o melhor. “Vimos o seu sinal de fumaça”, disse o capitão do navio que veio em seu resgate. Recordemos que se as nossas vidas estiverem nas mãos de Deus: todas as coisas contribuem juntamente para o bem.”



O certo é que há ocasiões quando a fé vacila, a carga parece insuportável e a escuridão impenetrável. No nosso desespero perguntamo-nos: “Que bem pode sair de tudo isto?” Há uma resposta: O bem que Deus está fazendo encontramo-lo no versículo que apresento (Rm 8:29, ARC, Pt), “para serem conformes à imagem de Seu Filho.” É como o cinzel de um escultor, com o qual ele desprende as partes de mármore, até que por fim aparece a imagem do homem. E é assim que os golpes da vida fazem em fragmentos tudo o que é indigno em nós para que possamos ser transformados à Sua bendita semelhança. Assim se não podes encontrar qualquer outro bem nas crises da vida, recorda este: ser conformado à Sua semelhança.


Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: