… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

quinta-feira, 30 de março de 2017

30 de março



C. H. Spurgeon 
Leituras Matutinas
30 de março


“Foi contado com os transgressores.” (Is 53:12, ARC, Pt)

POR QUE É que Jesus consentiu em ser contado com os pecadores? Esta admirável condescendência fica justificada por muitas e poderosas razões. Em primeiro lugar, em tal carácter Ele poderia ser o melhor advogado deles. Em algumas causas há uma identificação entre o advogado e o cliente; ante o olho da lei não podem ser considerados à parte um do outro. Agora, quando o pecador é conduzido ao tribunal, Jesus em pessoa aparece ali. Ele está para responder à acusação. Ele mostra o Seu flanco, as Suas mãos, os Seus pés e desafia a Justiça a que presente qualquer coisa contra os pecadores a quem Ele representa; Ele responde à acusação com o Seu sangue, e fá-lo tão triunfalmente, contando-Se entre os pecadores e tendo uma parte com eles, que o Juiz diz: “Deixai ir estes; Livra-os, para que não desçam à cova; já Ele achou um resgate.” Nosso Senhor foi contado com os transgressores para que eles sentissem os seus corações atraídos para Ele. Quem pode ter medo de Alguém que está inscrito na mesma lista, connosco? Com toda a certeza, podemos ir até Ele audaciosamente e confessar-Lhe a nossa culpa. Aquele que está contado connosco não nos pode condenar. Não foi Ele registado por escrito na lista dos transgressores para que nós fôssemos inscritos no rolo carmesim dos santos? Ele era santo e estava inscrito entre os santos; nós somos culpados e estamos contados entre os culpados. Ele transfere o Seu nome daquela lista para esta negra acusação escrita, e os nossos nomes são apagados da acusação escrita e escritos no rolo da aceitação, porquanto há uma completa transferência entre Jesus e o Seu povo. Jesus tomou toda a nossa condição de miséria e os nossos pecados, e tudo o que Ele tem veio a ser nosso. A Sua justiça, o Seu sangue e tudo o que Ele tem no-lo dá como nosso dote. Regozija-te, crente, na tua união com Aquele que foi contado com os transgressores; e demonstra que tu és verdadeiramente salvo por teres sido manifestamente contado com os que são novas criaturas nEle.



Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: