… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

sexta-feira, 31 de março de 2017

31 de março

Aos Pés Do Mestre
(At the Master’s feet),
Compilado por Audie G. Lewis
das obras de
C. H. Spurgeon

31 de março NÃO TE ESQUEÇAS

“Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse caridade, seria como o metal que soa, ou como o sino que tine.” (1Co 13:1, ARC, Pt)


Em cada um de nós existe a tentação de tratar esquecer que as almas se estão perdendo. Posso ir para minha casa por ruas respeitáveis e escolher esse caminho de modo natural porque assim não vejo a pobreza dos locais mais baixos da cidade, mas, estou eu fazendo o correto se trato de esquecer que existem lugares como Bethnal Greens e Kent Streets, e outros semelhantes lugares de pobreza? Os pátios fechados, os sótãos, as águas-furtadas lotadas, as casas de hospedagem, vou-me esquecer que existem? De certo que a única maneira para que uma mente caridosa durma comodamente em Londres é esquecer como vive a metade da população; mas o nosso objetivo é viver comodamente? Somos bestas tão brutas que o que unicamente nos interessa é a comodidade, como os cerdos na sua pocilga? Não, irmãos, tragamos para a memória os pecados da nossa grande cidade, as suas penas e sofrimentos e recordemos também os pecados e as penas do vasto mundo e as dezenas de milhares da nossa raça que estão partindo constantemente para eternidade. Mais ainda, olhai-os! Não feches os olhos! O horror da visão faz que te doam os olhos? Então olha até que também te doa o teu coração e o teu espírito prorrompa em agonia diante do Senhor.

Olha para o inferno um momento; abre bem a porta; escuta e volta a escutar. Diz que não podes, que enferma a tua alma; deixa que se enferme e em teu desmaio, deixa-a cair nos braços de Cristo, o Salvador, e exala um lamento para que Ele se apresse a salvar os homens da ira vindoura. Não ignores, peço em oração, que existe a tentação de tratar esquecer que as almas se estão perdendo.

A Bíblia, do princípio ao fim, num ano:  At 23-25

 Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: