… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

terça-feira, 21 de março de 2017

21 de março

Oswald Chambers
 My Utmost for His Highest
21 de março INTERESSADO OU IDENTIFICADO?

Já estou crucificado com Cristo” (Gl 2:20, ARC, Pt)

Cada um de nós tem a ineludível necessidade espiritual de assinar o certificado de morte da sua natureza pecaminosa. Isto significa que devo converter as minhas impressões emocionais e crenças intelectuais num veredicto moral contra a natureza pecaminosa, isto é, contra qualquer reclamação da minha parte de ter direito sobre mim mesmo. Paulo afirmou: “Já estou crucificado com Cristo …”. Não disse: “Estou decidido a imitar a Jesus Cristo”, nem: “Realmente esforçar-me-ei para segui-Lo”, mas: “Identifiquei-me com Ele na Sua morte”. Logo que tomo esta decisão moral e atuo de acordo com ela, tudo o que Cristo realizou por mim na Cruz é realizado em mim. A minha livre entrega a Deus dá ao Espírito Santo a oportunidade de me conceder a santidade de Jesus Cristo.



“… E vivo, não mais eu...”. A minha individualidade permanece, mas mudam radicalmente a minha principal motivação para viver e a natureza que me governa. Eu tenho o mesmo corpo humano, mas, os antigos direitos satânicos sobre mim foram destruídos.



“… E a vida que agora vivo, na carne ...”. Não a vida que anelo viver ou a que peço em oração que eu viva, mas a que agora vivo na minha carne mortala vida que os homens podem ver vivo-a na fé do Filho de Deus...” Esta fé em Jesus Cristo não era própria de Paulo, mas era a fé que o Filho de Deus lhe tinha dado (ver Ef 2:8). Já não é uma fé na fé, mas uma fé que transcende todos os limites imagináveis, uma fé que vem somente do Filho de Deus.

Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: