… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

quinta-feira, 13 de abril de 2017

13 de abril



C. H. Spurgeon
Leituras Matutinas
13 de abril

“O meu amado é para mim um ramalhete de mirra.” (Ct 1:13, ARC, Pt)

A mirra pode muito bem ser escolhida como o tipo de Jesus por causa da sua preciosidade, do seu perfume, do seu encanto, da sua acão de curar, da ação de preservar, das qualidades de desinfecção, e da sua conexão com o sacrifício. Mas, por que é que Ele é comparado a um “ramalhete” de mirra? Em primeiro lugar, pela sua abundância. Jesus não é um ramito de mirra, mas um cesto cheio; não uma simples flor mas um molho. Há em Cristo o suficiente para todas as minhas necessidades; que eu não demore a valer-me dEle. O nosso bem Amado é comparado além disso a um “ramalhete”, pela sua variedade porquanto há em Cristo não só a “uma coisa necessária”, mas “nEle habita corporalmente toda a plenitude da divindade”; tudo o que é necessário está nEle. Considera a Jesus nos Seus diferentes caracteres e verás uma maravilhosa variedade: Profeta, Sacerdote, Rei, Marido, Amigo, Pastor. Considera-O na Sua vida, na Sua morte, na Sua ressurreição, na Sua ascensão e na Sua segunda vinda; Examina-O na Sua virtude, na Sua mansidão, na Sua abnegação, no Seu amor, na Sua debilidade, na Sua verdade, na Sua justiça; em toda a parte é um ramalhete de preciosidade.

Jesus é um “ramalhete de mirra” para preservação; não mirra solta que cai ao chão ou é pisada, mas mirra amarrada num ramalhete, para ser guardada num pequeno cofre. Devemos estimá-Lo como o nosso melhor tesouro; nós devemos apreciar as Suas palavras e os Seus mandamentos, e por fim, devemos guardar a sete chaves, os pensamentos e os conhecimentos que Ele nos deu, com receio de que o diabo nos roube algo. Além do mais, Jesus é “um ramalhete de mirra”, pela Sua especialidade. O emblema sugere a ideia de graça distintiva e discriminativa. Desde antes da fundação do mundo, Ele foi apartado para o Seu povo, e Ele dá o Seu perfume somente para aqueles que entendem como entrar em comunhão com Ele, para terem com Ele íntimas relações. Oh! Povo abençoado que o Senhor tem admitido em Seus secretos, e por quem Ele Se coloca à parte. Oh! Escolhido e feliz, aquele que assim é feito para dizer: “O meu amado é para mim um ramalhete de mirra!


Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: