… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

sexta-feira, 14 de abril de 2017

14 de abril

William MacDonald 
Um dia de cada vez
14 de abril

“Mas todo aquele que quiser entre vós fazer-se grande seja vosso serviçal; e, qualquer que entre vós quiser ser o primeiro, seja vosso servo.” (Mt 20:26-27, ARC, Pt)



O que é a verdadeira grandeza?

No reino deste mundo, o homem grande é aquele que ostenta riqueza e poder. Tem um séquito de ajudantes e de assistentes sempre preparados para acatar as suas ordens. Onde quer que seja que vá recebe favores e um tratamento de preferência. Quando as pessoas se referem a ele fazem-no com respeito e temor quase reverencial. Nunca se rebaixa a fazer algum trabalho doméstico já que há sempre outros que o fazem por ele.

Mas no reino de nosso Senhor, as coisas são totalmente diferentes. Aqui a grandeza mede-se pela quantidade em que alguém serve, e não pela medida em que nos servem. O homem grande é aquele que se inclina para servir os outros. Não espera qualquer tratamento especial ou que lhe agradeçam o que faz, e considera que nenhum serviço é muito baixo para que ele o não execute. Quando um dos homens de George Washington o viu executando um serviço doméstico, opôs-se, dizendo: “General, Vossa Excelência é um homem muito grande para fazer isto”, ao que Washington respondeu: “Oh, não, tenho justamente a dignidade adequada para fazê-lo”.

Comentando sobre Lucas 17:7-10, Roy Hession recorda-nos: “Há cinco marcas no servo: (1) Deve estar disposto a realizar um trabalho depois doutro, sem receber em troca, qualquer consideração. (2) Ao fazer assim, deve estar disposto a que não se lhe agradeça. (3) Fazendo tudo isto, não deve acusar o seu amo com egoísmo. (4) Deve confessar que é um servo inútil, e (5) Deve admitir que ao fazer e suportar o que faz, fá-lo com mansidão e humildade, não tem feito nem um pouquinho mais do que estava obrigado a fazer.”

Quando o nosso Senhor deixou as alturas da Glória para vir a fazer-Se homem entre nós, “Tomou a forma de servo” (Fl 2:7) e esteve entre nós como O que serve (Lc 22:27). Estas são as Suas palavras: “O Filho do Homem não veio para ser servido, mas para servir, e para dar a Sua vida em resgate de muitos” (Mt 20:28). Cingiu-Se com uma toalha, que era o avental de um escravo, e lavou os pés aos Seus discípulos (Jo 13:1-17).

“O servo não é maior do que o seu senhor” (Jo 13:16). Se Ele humilhou-Se tanto para nos servir, porque pensamos que servir os outros está abaixo da nossa dignidade?

Foste, Senhor, humilde e manso,
E quem é este abjeto,
Débil, pecador relapso
Para erguer a sua cabeça ao alto?


Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: