… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

sexta-feira, 14 de abril de 2017

14 de abril

Aos Pés Do Mestre
(At the Master’s feet),
Compilado por Audie G. Lewis
das obras de
C. H. Spurgeon
14 de abril OS COMPASSIVOS

“E apedrejaram a Estêvão que, em invocação, dizia: Senhor Jesus, recebe o meu espírito, e, pondo-se de joelhos, clamou com grande voz: Senhor, não lhes imputes este pecado. E, tendo dito isto, adormeceu.” (At 7:59-60, ARC, Pt)

Alguns corações ternos não só se surpreendem mas ficam consternados e se afligem ante a oposição do mundo. Os espíritos ternos e gentis não enfrentariam ninguém se pudessem evitá-lo, sentem agudamente os ataques injustificados daqueles a quem prefeririam agradar em vez de os provocar. A sensibilidade do amor faz com que os caracteres mais delicados sejam os mais suscetíveis à dor sob a cruel oposição, especialmente quando vem de um parente querido. Para aqueles que amam a Deus e ao homem, às vezes é uma agonia verem-se obrigados a parecer como a causa da luta, até mesmo por amor a Cristo.

O que mais ama é quem mais se parece com Deus, e aquele cujo coração está mais cheio de compaixão é quem mais se aproxima da imagem de Cristo. No reino de Deus os espíritos mais fortes resultam ser antes anões e não gigantes. Devemos ter força de caráter e estar preparados para lutar tenazmente pela fé; não obstante, quanto mais amor mostremos, melhor e, portanto, mais dor nos custará estar continuamente em guerra com os espíritos frios. Esta é uma parte da tribulação que devemos suportar, e quanto mais valentia mostremos ao enfrentá-la, mais a fundo ganharemos as batalhas da paz e da pureza.



A Bíblia, do princípio ao fim, num ano: Rm 7-8

 Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: