… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

sexta-feira, 14 de abril de 2017

14 de abril


Oswald Chambers
My Utmost for His Highest
14 de abril INVENCIBILIDADE INTERIOR

“Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim …” (Mt 11:29, ARC, Pt)

O Senhor corrige o que ama …” (Hb 12:6 ). Quão insignificantes são as nossas queixas! Nosso Senhor começa a levar-nos ao ponto em que podemos ter comunhão com Ele, só para nos ouvir queixar e gemer, dizendo: “Oh, Senhor, deixa-me ser como as outras pessoas!” Jesus está pedindo-nos para ficarmos ao lado dEle e que peguemos numa extremidade do jugo, para que possamos puxar juntos. É por isso que Jesus nos diz: “O meu jugo é suave e o meu fardo é leve” (Mt 11:30). Estás assim estreitamente identificado com o Senhor Jesus? Se assim é, agradecerás a Deus quando sentires a pressão da Sua mão sobre ti.

“Multiplica as forças ao que não tem nenhum vigor” (Is 40:29, ARC, Pt). Deus vem a nós e tira-nos da nossa emotividade, e, então, a nossa queixa transforma-se num hino de louvor. A única maneira de conhecer a força de Deus é tomar o jugo de Jesus sobre nós para aprendermos dEle.

“... A alegria do Senhor é a vossa força” (Neemias 8:10). De onde obtêm os santos a sua alegria? Se não conhecêssemos bem alguns Cristãos, poderíamos pensar, apenas observando-os, que eles não têm cargas, de modo algum, para suportar. Mas temos de levantar o véu dos nossos olhos. O facto de que a paz, a luz, e a alegria de Deus estão neles é a prova de que um fardo está lá também. O fardo que Deus põe sobre nós espreme as uvas nas nossas vidas e produz o vinho, mas a maioria de nós vê apenas o vinho e não o fardo. Nenhum poder na terra ou no inferno pode vencer o Espírito do Deus vivo dentro do espírito humano; Ele cria uma invencibilidade interior.

Se a tua vida está produzindo apenas uma lamentação, em vez do vinho, então, desapiedadamente, lança-a fora. Para um Cristão é, certamente, um crime, ser fraco na força de Deus.


Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: