… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

sábado, 15 de abril de 2017

15 de abril

William MacDonald
Um dia de cada vez
15 de abril

Servi-vos uns aos outros pelo amor.”(Gl 5:13, ARC, Pt)

Alguém disse: “Ele pensa que é grande e busca que todos o sirvam. O amor serve e é grande.”

Um popular cantor de hinos testificava numa ocasião a um homem que estava sentado perto dele num restaurante e teve o gozo de o levar a Cristo. Nas semanas que se seguiram, educou na fé o seu novo convertido. Mais tarde, Frederico, o novo crente, foi atacado por um cancro inoperável e levado para um hospital onde, infelizmente, o cuidado prestado aos enfermos estava por abaixo das normas. O cantor, que era uma grande celebridade da rádio, visitava fielmente o seu “Timóteo”. Trocava-lhe a roupa da cama, banhava-o, alimentava-o e fazia muitas outras coisas que eram responsabilidade do pessoal hospitalar. Na noite em que Frederico morreu, este bem conhecido cantor sustentava-o nos seus braços e sussurrava-lhe ao ouvido, em voz baixa, alguns textos da Escritura. “Servi-vos uns aos outros pelo amor.”

Um professor de um Instituto Bíblico encontrava frequentemente a residência dos homens alagada depois das pressas da manhã. Pacientemente, limpava as instalações e de joelhos, secava o chão. O seu melhor ensino não ficou confinado à sala de aulas. Os estudantes foram humilhados e inspirados pelo exemplo do seu respeitável professor que fazia a limpeza diante deles: “Servi-vos uns aos outros pelo amor.”

Nessa mesma escola, um membro da equipa de basquetebol tinha o coração de um verdadeiro servo. Depois de uma partida, quando todos os jogadores se apressavam para ser os primeiros à chegar aos duches, ele permanecia no ginásio e cuidava para que tudo estivesse em ordem para o dia seguinte. Encontrou no egoísmo de outros uma excelente oportunidade para se identificar com o Senhor, como servo de tudo e de todos. “Servi-vos uns aos outros pelo amor.”

Uma mãe cristã que vivia numa zona rural da Turquia foi levada a Londres para doar um rim ao seu filho doente. Sabia que doar um rim lhe poderia custar a vida. Quando o médico inglês lhe perguntou se estava segura e disposta para dar o rim ao seu filho, respondeu: “Estou disposta a dar-lhe os dois rins.” “Servi-vos uns aos outros pelo amor.”

Num mundo dominado na sua maior parte pelos interesses pessoais, a senda do serviço sacrificado e desinteressado não está ainda abarrotada. Todo o dia as oportunidades nos fazem acenos para que realizemos novos atos de serviço.


Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: