… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

segunda-feira, 17 de abril de 2017

17 de abril

 C. H. Spurgeon
Livro de Cheques do Banco da Fé
17 de abril
“Sendo os caminhos do homem agradáveis ao SENHOR, até a seus inimigos faz que tenham paz com ele.” (Pv 16:7, ARC, Pt)

Tenho de ver que os meus caminhos precisam de ser agradáveis ao SENHOR. Até mesmo então, terei inimigos; e, talvez, com mais certeza ainda, porque me esforço por fazer aquilo que é recto. Mas, que promessa esta! O Senhor fará com que a ira do homem O louve, e a abaterá de tal modo que ela não me afligirá.

Ele pode constranger um inimigo a desistir de me fazer mal, ainda que este tenha a intenção de fazê-lo. Isto fez com Labão, que perseguiu Jacob, mas não se atreveu a tocar-lhe. Ou, Ele pode sujeitar a ira do inimigo, e torná-lo amigável, como fez com Esaú, que se encontrou com Jacob de um modo fraternal, embora Jacob houvesse temido que ele o ferisse com a espada e à sua família. O SENHOR também pode converter um furioso adversário num irmão em Cristo e num companheiro de trabalho, como fez com Saulo de Tarso. Oh, que Ele faça isto em cada caso em que apareça um espírito perseguidor!

Bem-aventurado é o homem cujos inimigos são forçados a ser para com ele, o que os leões foram com Daniel no fosso, mansos e sociáveis! Quando me encontrar com a morte, que é chamada o último inimigo, rogo que eu possa estar em paz. Que o meu grande cuidado seja apenas agradar ao SENHOR em todas as coisas. Oh, que tenhamos fé e santidade; porque estas coisas são agradáveis ao Altíssimo!


Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: