… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

domingo, 2 de abril de 2017

2 de abril



C. H. Spurgeon
Leituras Vespertinas
2 de abril

“Verá a sua posteridade, prolongará os dias, e o bom prazer do SENHOR prosperará na sua mão.” (Is 53:10, ARC, Pt)

ROGAI pelo rápido cumprimento desta promessa, todos vós que amais o SENHOR. É trabalho fácil orar quando estamos fundados e cimentados, quanto aos nossos desejos, nas próprias promessas de Deus. Como pode Aquele que deu a palavra deixar de a cumprir? A imutável veracidade não pode envilecer-se com uma mentira e a eterna fidelidade não pode degradar-se com um esquecimento. Deus tem de abençoar o Seu Filho; o Seu pacto obriga-O a isso. O que o Espírito nos inspira a pedir por Jesus é aquilo que Deus decretou dar-Lhe. Quando oras a favor do reino de Cristo, deixa que os teus olhos contemplem o amanhecer do bendito dia, que se aproxima, quando o Crucificado será coroado no lugar onde os homens O rejeitaram. Tem ânimo, tu, que trabalhas piedosamente, e trabalhar duramente por Cristo com um tão pobre resultado, porquanto nem isso sempre será assim. Melhores tempos estão diante de ti. Teus olhos não podem ver o ditoso futuro. Pede emprestado o telescópio da fé; limpa a lente para que não esteja embaciada com as tuas dúvidas; olha através dele e contempla a glória que se aproxima. Leitor, permite-me que te pergunte, tens feito disto o objeto das suas constantes orações? Recorda que o próprio Cristo que nos ordenou que disséssemos “O pão nosso de cada dia dá-nos hoje”, primeiro ensinou-nos a dizer “Santificado seja o teu nome. Venha o teu Reino. Seja feita a tua vontade, tanto na terra como no céu” Que as tuas orações não sejam todas feitas em relação com os teus pecados, com as tuas necessidades, com as tuas imperfeições, com as tuas provas, mas que elas subam pela escala recamada de estrelas até chegarem a Cristo, a Ele mesmo, e então, ao te aproximares do propiciatório aspergido com sangue, oferece continuamente esta oração: “SENHOR, alarga o reino do Teu querido Filho”. Tal petição, ardentemente apresentada, elevará o espírito de todas as tuas devoções. Recorda que demonstras a sinceridade da tua oração, trabalhando para promover a glória do SENHOR.



Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: