… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

sexta-feira, 21 de abril de 2017

21 de abril

Aos Pés Do Mestre
(At the Master’s feet),
Compilado por Audie G. Lewis
das obras de
C. H. Spurgeon

21 de abril QUANDO O SENHOR PERGUNTA

“E ouviram a voz do Senhor Deus, que passeava no jardim pela viração do dia: e escondeu-se Adão e sua mulher da presença do Senhor Deus, entre as árvores do jardim. E chamou o Senhor Deus a Adão, e disse-lhe: Onde estás?” (Gn 3:8-9, ARC, Pt)

Uma das coisas mais terríveis em relação a este encontro de Deus com Adão foi que Adão teve de responder às perguntas do Senhor Deus. O Senhor Deus disse-lhe: “Comeste tu da árvore de que te ordenei que não comesses?” (Gn 3:11). Nos nossos tribunais de justiça não requeremos que os homens respondam a perguntas que os incriminariam, mas Deus o faz; e no grande dia final, os ímpios serão condenados pela sua própria confissão de culpa. Enquanto estão neste mundo, põem um rosto cínico e declaram que não têm feito mal a ninguém, nem pelo menos a Deus: pagam o que lhes corresponde, são tão bons como os seus vizinhos e melhores que a maioria deles; mas todo o seu alarde e valentia desaparecerão no dia do juízo. Ou se deterão em silêncio diante de Deus –e o seu silêncio reconhecerá a culpa ante os olhos de Deus– ou se falarem, a suas evasivas e desculpas vãs não farão outra coisa que condená-los. Eles se condenarão a si mesmos com a sua própria boca, como aquele servo malvado e preguiçoso que foi lançado nas trevas exteriores, ali haverá pranto e ranger de dentes. Queira Deus que nunca conheçamos por uma triste experiência pessoal o que significam essas expressões!

A Bíblia, do princípio ao fim, num ano:  Js 9-12

 Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: