… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

domingo, 23 de abril de 2017

23 de abril

William MacDonald
Um dia de cada vez
23 de abril

“Saiamos, pois, a Ele fora do arraial, levando o Seu vitupério.” (Hb 13:13, ARC, Pt)

A primeira lição que aprendemos deste versículo é que Cristo é o centro da reunião do Seu povo. Não nos congregamos em torno de uma denominação, igreja, edifício ou de algum grande pregador, mas só em Cristo: “a Ele se congregarão os povos” (Gn 49:10). “Ajuntai-Me os Meus santos, aqueles que fizeram Comigo uma aliança com sacrifícios.” (Sl 50:5, ARC)



A segunda lição é que devemos sair a Ele, fora do acampamento. Alguns definiram o acampamento como “Todo o sistema religioso terrestre adaptado ao homem natural.” Trata-se da esfera religiosa em que Cristo é desonrado e degradado, a pagã monstruosidade que se disfarça hoje como cristianismo e que mascara a todos os que: “Têm aparência de piedade mas negam a eficácia dela.” Cristo está fora, e devemos sair a Ele.



Também aprendemos que sair com Cristo fora do acampamento suporta vitupério. Às vezes, os cristãos sofrem vitupério por causa da sua obediência ao Senhor quanto à comunhão da igreja. Cada vez mais, as associações eclesiásticas têm uma certa medida de prestígio e de posição social. Mas, quanto mais nos aproximemos do padrão do Novo Testamento, mais teremos de compartilhar o Seu vitupério. Estamos dispostos a pagar esse preço?



O Homem do Vestido tingido chamou-me,

Conheci a Sua voz, o meu Senhor crucificado;

Não pude resistir, quando a Si mesmo Se mostrou,

E obedeci, deixando tudo de lado.



Este mundo expulsou-me, uma vez que O tinha encontrado,

Que no meu rebelde coração estava coroado

Aquele que tinha sido rechaçado, desprezado e assassinado,

A quem Deus com poder maravilhoso havia posto para reinar ressuscitado.



E, assim, meu Senhor e eu estamos fora do acampamento,

Mas, mais doce do que qualquer laço terrestre é a Sua presença.

Que uma vez encontrei maior que o Seu chamamento;

Estou fora para o mundo, porém do meu Senhor não sinto ausência.


Selecionado

Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: