… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

terça-feira, 25 de abril de 2017

25 de abril

C. H. Spurgeon
Leituras Matutinas
25 de abril

“Levanta-te, amiga minha, formosa minha, e vem.” (Ct 2:10, ARC, Pt)

OLHAI! Eu ouço a voz do meu Amado! Ele fala-me! O bom tempo apresenta-se sorridente sobre a face da Terra, e Ele não quer ter-me espiritualmente adormecido, enquanto a natureza, ao meu redor, está despertando do sono invernal. Ele roga-me que “me levante”; e, Ele tem razão, porquanto eu estive muito tempo entre as panelas da mundanalidade. Ele levantou-Se, e eu levantei-me nEle. Por que, então, tenho eu de estar apegado ao pó? Dos amores, dos propósitos e das aspirações inferiores eu quero elevar-me em direcção a Ele. Ele chama-me pelo doce nome de “Amiga minha”, e considera-me formosa. Este é um bom motivo para que eu me levante. Se Ele me elevou deste modo e me trata tão amavelmente, como posso permanecer nas tendas de Quedar, e achar agradáveis companhias entre os filhos dos homens? Ele diz-me: “Vem.” Ele chama-me para eu ir para longe, para muito longe de tudo o que é egoísta, abjecto, mundano, pecaminoso, sim, Ele chama-me do mundo exteriormente religioso, que não O conhece Ele, e que não tem simpatia pelo mistério da vida superior. “Vem” não tem nos meus ouvidos um som desagradável, porque o que há, neste deserto de vaidade e de pecado, que possa sustentar-me? Oh, Meu Senhor! Tu queres que eu vá a Ti; mas eu estou preso entre os espinhos e não posso safar-me deles como eu desejo. Se fosse possível, eu queria, não ter olhos, nem ouvidos, nem coração, para o pecado. Tu chamaste-me a mim para Ti mesmo, dizendo: “Vem”, e esta é, de facto, uma chamada melodiosa. Ir para Ti é ir do desterro para o Lar; é chegar a terra salvo da furiosa tormenta; é ir para o descanso depois de muito trabalho; é ir para a meta de meus desejos e para o auge dos meus desejos. Mas, Senhor, como pode uma pedra levantar-se, como pode uma massa de barro sair do horrível abismo? Oh levanta-me, atrai-me! A Tua graça pode fazê-lo. Envia o Teu Santo Espírito para acender chamas sagradas de amor no meu coração, e eu continuarei a subir até que deixe a vida e o tempo atrás de mim, e, de facto, eu venho.


Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: