… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

quarta-feira, 26 de abril de 2017

26 de abril


Aos Pés Do Mestre
(At the Master’s feet),
Compilado por Audie G. Lewis
das obras de
C. H. Spurgeon

26 de abril – A CAUSA ESTÁ DISTANTE

“Senhor, por que rejeitas a minha alma? Por que escondes de mim a tua face?” (Sl 88:14, ARC, Pt)

Não me pergunto por que sofrem alguns Cristãos, mas, se não sofressem, então, sim, devo questionar-me. Tenho-os cisto, por exemplo, descuidar a oração familiar e outros deveres do lar e os seus filhos os hão chegado a desonrar. Se clamam: “Que aflição!”, nós não gostamos de dizer: “Ah, mas deverias havê-la esperado, tu foste a causa”, mas dizer isso seria a verdade. Quando os filhos partem do lar paterno e se entregam ao pecado, não nos surpreende que o pai tenha tido um temperamento áspero, amargurado e mal-humorado. Não esperaríamos colher figos dos espinheiros nem uvas dos abrolhos. Temos visto homens que o seu único pensamento era: “conseguir dinheiro, conseguir dinheiro” e, não obstante, professam ser Cristãos. Tais pessoas têm estado preocupadas e têm sido infelizes, mas não nos assombramos. Não, se elas se afastam obstinadamente de Cristo, Ele afastar-Se-á deles.

Porém, às vezes, a causa do castigo está distante. Todo o cirurgião te dirá que no começo da vida ou na velhice existem enfermidades que se tornam problemáticas e que podem ter a sua causa na juventude, devido a algum acto mau ou por algum acidente, e o mal pode ter estado latente durante todos esses anos. Os pecados da nossa juventude podem-nos trazer as penas dos nossos anos mais maduros, e as faltas e as omissões de há vinte anos podem-nos açoitar hoje, é exatamente assim. Eu sei que é assim. Se a falta for de uma época muito distante, deveria levar-nos a uma busca mais completa e a uma oração mais frequente.




A Bíblia, do princípio ao fim, num ano: 1Co 3-4

 Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: