… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

sexta-feira, 28 de abril de 2017

28 de abril

C. H. Spurgeon
Livro de Cheques do Banco da Fé

28 de abril

 “Neles habitarei, e entre eles andarei; e Eu serei o Seu Deus e eles serão o Meu povo.” (2Co 6:16, ARC, Pt)

Há aqui um interesse mútuo. Pertencem um ao outro. Deus é a porção do Seu povo, e o povo escolhido é a porção do seu Deus. Os santos acham em Deus a sua principal possessão, e Ele considera-os como o Seu tesouro peculiar. Que mina de consolo existe nesta verdade para cada crente!



Esta feliz condição de interesse mútuo conduz à consideração mútua. Deus pensará sempre no Seu próprio povo, e este pensará sempre nEle. Neste dia, o meu Deus executará todas as coisas por mim; o que posso eu fazer por Ele? Os meus pensamentos devem correr para Ele, porquanto Ele pensa em mim. Que eu me assegure que assim é, e não me contente em admitir meramente que assim devia ser.


Isto, outra vez, conduz à comunhão mútua. Deus habita em nós, e nós habitamos nEle; Ele anda connosco, e nós andamos com Deus. Quão feliz esta comunhão!



Oh, que eu receba graça para tratar o SENHOR como o meu Deus: para confiar nEle, e para O servir como a Sua Divindade merece! Oh que eu possa amar, adorar, reverenciar e obedecer ao SENHOR em espírito e em verdade! É este o desejo do meu coração. Quando o alcançar, terei encontrado o meu Céu. SENHOR, ajuda-me! Sê o meu Deus, ajudando-me a conhecer-Te como o meu Deus, por amor de Jesus.

Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: