… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

sábado, 29 de abril de 2017

29 de abril

Aos Pés Do Mestre
(At the Master’s feet),
Compilado por Audie G. Lewis
das obras de
C. H. Spurgeon

29 de abril – O PODER DE SE COMPADECER

“Disseste: Ai de mim, agora! Porque me acrescentou o Senhor tristeza à minha dor: estou cansado do meu gemido, e não acho descanso.” (Jr 45:3, ARC, Pt)

A aflição dá-nos, por meio da graça, o inestimável privilégio da conformidade com o Senhor Jesus. Oramos para ser semelhantes a Cristo mas, como podemos sê-lo, se não somos, em absoluto, pessoas de dores e se nunca nos convertemos em amigos da aflição? Semelhantes a Cristo e, sem embargo, nunca atravessamos o vale das lágrimas! Semelhantes a Cristo e não obstante, temos tudo o que o coração poderia desejar, e nunca suportamos a contradição de pecadores contra nós, e nunca dizemos: “Minha alma sobrepuja a dor, até à morte!” Não sabes o que estás pedindo. Hás dito: “Deixa-me sentar à Tua direita, no Teu reino”? Isto não te pode ser concedido a menos que estejas disposto também a beber da Sua taça e a ser batizado com o Seu batismo. A participação da Sua pena deve preceder a participação da Sua glória.



Uma vez mais, os nossos sofrimentos são muito úteis para nós quando Deus os bendiz, porque nos ajudam a ser úteis a outros. Deve ser algo terrível nunca ter sofrido a dor física. Tu dirás: “Eu gostaria de ser esse homem.” Ah, a menos que tivesses uma graça extraordinária, tornar-te-ias duro e frio; chegarias a ser uma espécie de homem de ferro fundido, que despedaça as pessoas com o seu toque. Não, que o meu coração seja terno, mesmo suave, ainda que para o suavizar necessite da dor, porque anelo saber como sujeitar as feridas do meu irmão. Que o meu olho tenha pronta uma lágrima pelas penas do meu irmão mesmo que para o fazer, tenha de derramar milhares por mim mesmo. Escapar do sofrimento seria escapar do poder de condoer-me e isso, entre todas as coisas, deve ser desprezado.




A Bíblia, do princípio ao fim, num ano: 1Co 9-10

 Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: