… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

domingo, 30 de abril de 2017

30 de abril



Aos Pés Do Mestre
(At the Master’s feet),
Compilado por Audie G. Lewis
das obras de
C. H. Spurgeon


30 de abril – O PERDÃO

“Suportando-vos uns aos outros, e perdoando-vos uns aos outros, se algum tiver queixa contra outro; assim como Cristo vos perdoou, assim fazei vós, também.” (Cl 3:13, ARC, Pt)

Observa o Antigo Testamento e verás que ele revela sacrifícios: de ovelhas, de novilhos e de cabras. O que significavam todos eles? Significavam que havia uma via de perdão por meio do derramamento de sangue, ensinavam isto aos homens: Que Deus aceitaria certos sacrifícios a favor deles. Observa depois o Novo Testamento e verás que ele revela mais claramente que Deus aceitou um sacrifício, o sacrifício que Ele mesmo deu, porque “nem mesmo a Seu próprio Filho poupou, antes O entregou por todos nós” (Ro 8:32). Neste livro lês como “Deus é justo e, ao mesmo tempo, que justifica aos que têm fé em Jesus” (Rm 3:26); como pode ser Ele um Deus justo e, ao mesmo tempo, um Salvador; como pode perdoar e, não obstante, ser tão justo como se castigasse e não mostrasse misericórdia. Isto, em realidade, é a revelação do evangelho; foi para ensinar isto que se escreveu este livro, para te dizer que “em Cristo, Deus estava reconciliando o mundo Consigo mesmo, não tomando em conta os seus pecados” (2Co 5:19). Portanto, vimos a Ti, não só com um sussurro esperançado, mas com uma segurança completa, clara, enfática e inquestionável: “Há perdão. Há perdão.”

A Bíblia, do princípio ao fim, num ano: 1Co 11-12

 Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: