… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

domingo, 30 de abril de 2017

30 de abril


Oswald Chambers

My Utmost for His Highest
30 de abril  O AMOR ESPONTÂNEO

“O amor é paciente e prestável....” (1Co 13:4, BPT, Pt)

O amor não é premeditado— é espontâneo; isto é, ele irrompe em formas extraordinárias. Não há nada de certeza exata na descrição de Paulo sobre o amor. Não podemos determinar antecipadamente os nossos pensamentos e ações, dizendo: "Agora eu nunca mais vou pensar nada de mal, e vou crer em tudo o que Jesus quer que eu creia." Não, a característica do amor é a espontaneidade. Nós não colocamos deliberadamente as declarações de Jesus diante de nós como nosso padrão, mas quando nós nos deixamos ser levados pelo Espírito no Seu caminho, vivemos de acordo com o Seu padrão, mesmo sem o percebermos. E quando olhamos para trás ficamos espantados com a maneira desinteressada como temos cessado as nossas emoções, o que é a própria evidência de que o verdadeiro amor espontâneo estava lá. A natureza de tudo que envolve a vida de Deus em nós, só é percebida quando nós passamos por isso e já faz parte do nosso passado.



As fontes donde flúem o amor estão em Deus, não em nós. É absurdo pensar que o amor de Deus está naturalmente nos nossos corações, como um resultado da nossa própria natureza. O Seu amor está ali unicamente porquanto ele "está derramado em nossos corações, pelo Espírito Santo ... " (Rm 5:5, ARC, Pt).



Se tentarmos provar a Deus o quanto O amamos, é um sinal claro de que nós realmente não O amamos. A prova do nosso amor por Ele é a espontaneidade absoluta do nosso amor, que flui naturalmente da Sua natureza dentro de nós. E quando olhamos para trás, não vamos ser capazes de determinar por que fizemos certas coisas, mas podemos saber que nós fizemo-las de acordo com a natureza espontânea do Seu amor em nós. A vida de Deus apresenta-se desta forma espontânea porque as fontes do Seu amor estão no Espírito Santo.



Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: