… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

terça-feira, 4 de abril de 2017

4 de abril



William MacDonald
Um dia de cada vez
4 de abril

“Pela fé entendemos...” (Hb 11:3, AC, Pt)

“Pela fé entendemos...”. Estas palavras encarnam um dos princípios mais básicos da vida espiritual. Primeiro, cremos na Palavra de Deus, e, em seguida, compreendemos. O mundo diz: “Ver para crer”, mas Deus diz: “Crer é ver.” O Senhor Jesus disse a Marta: “Não te hei dito que se creres, verás a glória de Deus?” (Jo 11:40). Mais adiante disse a Tomé: “...bem-aventurados os que não viram e creram” (Jo 20:29). E o Apóstolo João escreveu: “Estas coisas vos tenho escrito a vós que credes... para que saibais...” (1J0 5:13). Primeiro crê e logo entenderás.


Billy Graham conta como este princípio se tornou realidade na sua vida: “Em 1949 apresentaram-se-me muitas dúvidas a respeito da Bíblia. Pensava que via contradições evidentes nas Escrituras. Não podia reconciliar algumas coisas com o conceito limitado que tinha de Deus. Quando me levantava para pregar, estava ausente aquela nota autoritária tão característica de todos os grandes pregadores do passado. Como centenas de outros estudantes do seminário, travava a batalha intelectual da minha vida. Certamente as consequências podiam afetar o meu futuro ministério. Em agosto desse ano convidaram-me para a conferência presbiteriana de Forest Home nas montanhas dos subúrbios de Los Angeles. Recordo que descia por uma vereda, andando preocupadamente pelo bosque, e quase lutando com Deus. Bati-me em duelo com as minhas dúvidas, e a minha alma parecia estar apanhada no meio daquele fogo cruzado. Finalmente, desesperado, rendi a minha vontade ao Deus vivente revelado na Escritura. Ajoelhei-me ante a Bíblia aberta e disse: «Senhor, há muitas coisas neste livro que não entendo. Mas Tu hás dito: ‘O justo pela fé viverá.’ Tudo o que recebi de Ti obtive-o pela fé. Aqui e agora, pela fé, aceito e recebo sem reservas toda a Bíblia como a Tua Palavra. Onde haja coisas que não possa entendê-las, reservar-me-ei o julgamento até que receba mais luz. Se isto Te agrada, dá-me autoridade quando proclame a Tua Palavra e através dessa autoridade convence os homens do pecado e volta os pecadores para o Salvador. Seis semanas depois, começámos a cruzada de Los Angeles, que agora já é história. Durante essa cruzada descobri o segredo que mudou o meu ministério. Já não tentava provar que a Bíblia era verdade. Havia resolvido com firmeza na minha mente que o era, e esta fé foi transmitida à audiência.»



Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: