… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

terça-feira, 4 de abril de 2017

4 de abril



C. H. Spurgeon
Leituras Matutinas

4 de abril

“Àquele que não conheceu pecado, o fez pecado por nós; para que, nele, fôssemos feitos justiça de Deus.” (2Co 5:21, ARC, Pt)

CRISTÃO pesaroso! Por que choras? Estás chorando as tuas próprias corrupções? Contempla o teu perfeito Senhor, e recorda que tu és perfeito nEle. Tu és aos olhos de Deus tão perfeito como se nunca tivesses pecado; sim, mais do que isso: o Senhor, nossa Justiça, pôs sobre ti um vestido divino, de modo que tu tens mais do que a justiça humana: tens a justiça de Deus. Oh tu que choras pelo pecado inato e pela depravação!, recorda que nenhum dos teus pecados te pode condenar. Tu tens aprendido a odiar o pecado; mas tens aprendido também a conhecer que o pecado não é teu, pois foi posto sobre a cabeça de Cristo; o teu crédito não está em ti mesmo, mas em Cristo; a tua aceitação não está em ti mesmo, mas no teu Senhor. Tu és aceite hoje com toda a tua perversidade, como o serás quando estiveres diante do Seu trono, livre de toda a corrupção. Oh, eu rogo-te que lances mão a esta preciosa verdade: perfeição em Cristo! Pois tu estás “perfeito nEle.” Vestido com as vestimentas do teu Salvador, tu és santo como Ele é Santo. "Quem os condenará? Pois é Cristo quem morreu ou, antes, quem ressuscitou dentre os mortos, o qual está à direita de Deus, e também intercede por nós." Cristão, que o teu coração se regozije, pois tu és “agradável a Si no Amado.” O que tens tu a temer? Que sempre haja um sorriso em teu rosto! Vive perto do teu Senhor; vive nos subúrbios da Cidade Celestial, porque logo, quando o teu tempo se tenha cumprido, subirás aonde teu Jesus está, e reinarás à Sua mão direita, e tudo isto porque o divino SENHOR "Àquele que não conheceu pecado, O fez pecado por nós; para que, nEle, fôssemos feitos justiça de Deus."

Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: