… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

terça-feira, 4 de abril de 2017

4 de abril


Oswald Chambers
My Utmost for His Highest
4 de abril O CAMINHO DA FÉ PERMANENTE

“Eis que chega a hora... em que vós sereis dispersos...” (Jo 16:32, ARC, Pt)

Nesta passagem Jesus não estava repreendendo os discípulos. A fé deles era verdadeira, mas desordenada e desfocada, e não estava operando nas realidades importantes da vida. Os discípulos estavam dispersos, preocupados com os seus próprios interesses, os quais estavam afastados de Jesus Cristo. Depois de alcançarmos o relacionamento perfeito com Deus, mediante a obra santificadora do Espírito Santo, a nossa fé deve ser exercida nas realidades da vida quotidiana. Então seremos dispersos, não para o trabalho, mas para o vazio das nossas vidas onde encontraremos ruínas e aridez, para saberemos o que significa a morte interior às bênçãos de Deus. Estamos preparados para isso? Certamente que não é da nossa própria escolha, mas Deus engendra as nossas circunstâncias para nos levar lá. Até que não tenhamos passado por essa experiência, a nossa fé é sustentada apenas pelos sentimentos e pelas bênçãos. Mas quando lá chegarmos, não importa onde Deus nos coloca ou quais os vazios íntimos que experimentamos, podemos louvar a Deus que tudo está bem. Isto é o que se entende por fé exercida nas realidades da vida.

E me deixareis só.” Fomos nós dispersos e deixamos Jesus só por não vermos o Seu cuidado providencial para connosco? Não vemos Deus agindo nas nossas circunstâncias? Tempos escuros são permitidos e chegam até nós através da soberania de Deus. Estamos nós preparados para deixar que Deus faça o que ele quer connosco? Estamos nós preparados para ser separados das Suas bênçãos externas e evidentes? Até que Jesus Cristo não seja verdadeiramente o nosso Senhor, cada um de nós tem os seus próprios objetivos para os quais trabalhamos como criados. A nossa fé é real, mas ainda não é permanente. E Deus nunca está com pressa. Se esperarmos, veremos que Ele nos faz notar que estivemos interessados somente nas Suas bênçãos e não nEle mesmo. O sentido da bênção de Deus é fundamental.

“… Tende bom ânimo, eu venci o mundo” (Jo 16:33). Precisamos é de firme fortaleza espiritual.




Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: