… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

quarta-feira, 5 de abril de 2017

5 de abril



William MacDonald
Um dia de cada vez
5 de abril

“Antes sede uns para com os outros benignos, misericordiosos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus vos perdoou em Cristo.” (Ef 4:32, ARC, Pt)

No que respeita ao perdão bíblico, há uma ordem definida que devemos seguir, e se o fizéssemos, evitaríamos muitas dores de cabeça e de coração.


A primeira coisa que deves fazer quando alguém te causa algum mal é perdoar no teu coração a essa pessoa. Ainda que não lhe digas que o perdoaste, mas ao perdoar-lhe no teu coração, deixas o assunto entre o Senhor e o ofensor. Isto impede que os teus sucos gástricos se transformem em ácido sulfúrico, e te vejas afetado por outros males físicos e emocionais.



Então, vai ao irmão e repreende-o (Lc 17:3). Em lugar de dares à língua, contando como te julgaram injustamente: “Vai e repreende-o estando tu e ele sós.” (Mt 18:15) Trata de guardar em privado o problema na medida em que seja possível.



Se o ofensor não o reconhece, então vai uma vez mais, com uma ou duas testemunhas (Mt 18:16). Isto proporciona um testemunho bíblico e adequado quanto à atitude do ofensor. Se não cede, então leva o assunto à assembleia, acompanhado pelas testemunhas. Se ainda assim se negar a escutar o juízo da Igreja, deve ficar fora da comunhão da igreja (Mt 18:17).



Mas, se em qualquer momento durante este processo, se arrepende, então perdoa-lhe (Lc 17:3). Ainda que de antemão o tenhas perdoado no teu coração, é agora quando deves administrar-lhe o perdão. Aqui é importante não subestimar a importância do assunto. Não lhe digas: “Não te preocupes, está tudo bem; na realidade, não fizeste nada de mal.” Pelo contrário, deves dizer-lhe: “Perdoo-te com muito gosto. Agora o assunto está resolvido. Oremos juntos.”



A vergonha de ter de confessar e de arrepender-se pode dissuadi-lo a voltar a causar-te dano. Mas ainda se repetir o seu pecado, e logo se arrepender, deves perdoar-lhe. Ainda que o fizesse sete vezes num um dia e se arrependesse sete vezes, deves perdoar-lhe, ainda que penses que tenha sido sincero, ou não (Lc 17:4).



Nunca devemos esquecer que Deus perdoou-nos milhões de vezes. Assim, não devemos titubear quando se trata de perdoar a alguém que, falando figuradamente, tão somente vale uns quantos cêntimos (Mt 18:23-35).




Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: