… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

quarta-feira, 5 de abril de 2017

5 de abril



C. H. Spurgeon
Livro de Cheques do Banco da Fé

5 de abril

“Eu te formei, meu servo és, ó Israel, não me esquecerei de ti.” (Is 44:21, ARC, Pt)

O nosso Deus não pode esquecer-Se tanto dos Seus servos até ao ponto de cessar de amá-los. Ele escolheu-os, não por um tempo, mas para sempre. Ele sabia o que seriam quando os chamou para que fizessem parte da Família divina. Ele desfaz os seus pecados como uma nuvem; e podemos ter a certeza de que Ele não os expulsará das Suas portas pelas iniquidades que Ele já apagou. Seria uma blasfémia imaginar tal coisa.

Ele não os esquecerá até ao ponto de cessar de pensar neles. Um momento de esquecimento da parte do nosso Deus, seria a nossa ruína. Portanto, Ele diz: “Não Me esquecerei de ti.” Os homens esquecem-nos; aqueles a quem temos beneficiado voltam-se contra nós. Não possuímos morada permanente nos corações inconstantes dos homens; mas Deus nunca esquecerá nenhum dos Seus servos verdadeiros. Ele liga-Se a nós, não pelo que façamos por Ele, mas pelo que Ele tem feito por nós. Temos sido amados por bastante tempo, e fomos comprados por um preço demasiado alto para sermos agora esquecidos. Jesus vê em nós o fruto da aflição da Sua alma, e isso jamais pode Ele esquecer. O Pai vê em nós a Esposa do Seu Filho, e o Espírito vê em nós a Sua própria obra eficaz. O Senhor pensa em nós. Neste dia seremos socorridos e sustentados. Oh, que o Senhor nunca seja esquecido por nós!



Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: