… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

quarta-feira, 5 de abril de 2017

5 de abril



C. H. Spurgeon
Leituras Matutinas
5 de abril


“E puseram-lhe a cruz às costas, para que a levasse após Jesus.” (Lc 23:26, ARC, Pt)

VEMOS em Simão, enquanto leva a cruz, uma figura da obra da Igreja em todas as gerações; ela é que leva a cruz após Jesus. Cristão, então, presta atenção, Jesus não sofre para eliminar os teus sofrimentos. Ele leva a cruz, não para que tu a evites, mas para que tu possas suportá-la. Cristo livra-te do pecado, mas não da aflição. Recorda isto e espera sofrer.



Mas confortemo-nos com o pensamento de que no nosso caso como no de Simão, não é a nossa cruz que levamos, mas a de Cristo. Quando és molestado por causa da tua piedade; quando a tua religião te traga a provação de escárnios desumanos, recorda, então, que essa não é a tua cruz, mas a cruz de Cristo. E quão delicioso é levar a cruz de nosso Senhor Jesus!



Tu levas a cruz após Ele. Tu tens, pois, uma bendita companhia; o teu caminho está marcado com os rastos do teu Senhor. O sinal do Seu ombro da cor de sangue está sobre aquela pesada carga. Esta é a Sua cruz, e Ele vai diante de ti como o pastor vai diante das suas ovelhas. Toma a tua cruz diária e segue-O.



Não esqueças, além disso, que levas esta cruz com ajuda. É a opinião de alguns que Simão não levou toda a cruz, mas uma parte dela. Isto é muito possível. Cristo terá levado a parte mais pesada, a viga mestra, onde estava o madeiro cruzado, e Simão a parte mais leve. Sem dúvida, assim acontece contigo; tu levas somente a parte menos pesada da cruz, e Cristo a mais pesada.



E recorda: se bem que Simão teve de levar a cruz por pouco tempo, isso trouxe-lhe honra duradoura. Assim também, nós, agora, levamos a cruz por um curto espaço de tempo, e depois receberemos a coroa e a glória. De facto, nós deveríamos amar a cruz, e, em vez de receá-la, deveríamos considerá-la muito cara, pois ela “produz para nós um peso eterno de glória mui excelente.”


Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: