… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

sexta-feira, 7 de abril de 2017

7 de abril



William MacDonald 
Um dia de cada vez

7 de abril

“Mas bastante tenho recebido, e tenho abundância. Cheio estou, depois que recebi de Epafrodito o que da vossa parte me foi enviado, como cheiro de suavidade e sacrifício agradável e aprazível a Deus.” (Fl 4:18, ARC, Pt)

A carta de Paulo aos Filipenses foi um reconhecimento à oferenda de amor que tinha recebido dos crentes de Filipos. Provavelmente tratava-se de dinheiro. O surpreendente é a maneira como o Apóstolo magnifica este obséquio. Descreve-o como: “cheiro de suavidade e sacrifício agradável e aprazível a Deus.” Em Efésios 5:2 utiliza uma expressão similar para descrever o grande dom de Cristo devotado no Calvário: “em oferta e sacrifício a Deus, em cheiro suave.” É impressionante pensar que uma oferenda dada pelos homens a um servo do Senhor se festeje com uma linguagem similar àquela como a que se descreve o Dom Inefável.



J. H. Jowett comenta com grande elegância a esse respeito: “Que imenso é, então, o significado de uma bondade aparentemente local! Pensavam que ministravam tão somente a um homem pobre, e, em realidade, acudiram em ajuda do próprio Rei. Supuseram que a fragrância estaria confinada a um angustiado e insignificante vizinho, e eis aqui, o doce aroma espargiu-se por todo o Universo. Creram que tratavam somente com Paulo, e encontraram que ministravam ao Salvador e Senhor de Paulo.” Quando compreendemos a verdadeira natureza espiritual do oferendar cristão e o seu amplo alcance de influência, deixamos de dar a contra gosto ou por necessidade. Imunizamo-nos para sempre contra os truques daqueles profissionais que extorquem as consciências de muitos levantando recursos recorrendo a toda classe de mimos falsos, de patetismo ou de comédia. Descobrimos que dar é uma forma de serviço sacerdotal e não uma imposição legalista. Damos porque amamos, e amamos dar.



A verdade admirável de que a minha minúscula oferenda ao Grande Deus enche de fragrância o salão do trono do Universo, deve levar-me a adorá-Lo humildemente e a oferendar jubilosamente. A oportunidade de entregar a minha oferenda ao domingo jamais será um dever aborrecido ou pesado, mas será um meio verdadeiro de dar diretamente ao Senhor Jesus como se Ele estivesse corporalmente presente.

Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: