… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

domingo, 9 de abril de 2017

9 de abril



C. H. Spurgeon
Leituras Vespertinas
9 de abril

“A tua mansidão me engrandeceu.” (Sl 18:35, ARC, Pt)

ESTAS palavras podem ser traduzidas assim: “A Tua bondade me engrandeceu.” David, agradecido, atribui toda a sua grandeza, não à sua própria bondade, mas à bondade de Deus. “A Tua providência” é outra interpretação, e, a providência não é outra coisa que a bondade em ação. A bondade é o renovo do qual a providência é a flor; ou, também, a bondade é a semente da qual a providência é a colheita. Alguns lêem “A Tua ajuda”, a qual é só outra palavra para providência. A providência é a firme aliada dos santos, a qual os ajuda no serviço do Seu Senhor. Ou, também, “A Tua humildade me engrandeceu.” “A Tua condescendência” pode servir, talvez, como uma compreensiva interpretação que combina as ideias mencionadas e inclui a da humildade. É Deus fazendo-Se a Si mesmo pequeno que é a causa de nós sermos engrandecidos. Nós somos tão insignificantes que Se Deus mostrasse a Sua grandeza sem condescendência seríamos pisados debaixo dos Seus pés. Mas Deus que Se inclina para contemplar os céus e ver o que os anjos fazem, dirige os Seus olhos ainda mais para baixo e vê o humilde e contrito e engrandece-o. Há ainda outra tradução, como por exemplo, a da Septuaginta, que diz: “A Tua disciplina”, a Tua correção paternal, “me engrandeceu”; enquanto que a paráfrase caldeia diz: “A Tua palavra me engrandeceu.” Entretanto, a ideia é a mesma. David atribui toda a sua grandeza à condescendente bondade de Seu Pai celestial. Que este sentimento ache eco em nossos corações esta tardinha, enquanto pomos as nossas coroas aos pés de Jesus e clamamos: “A Tua bondade me engrandeceu.” Quão maravilhosa tem sido a nossa experiência da benignidade de Deus! Quão suaves tem sido as Suas correções! Quão benigna a Sua clemência! Quão agradáveis os Seus ensinos! Quão carinhosa sua atração! Oh, crente, medita neste tema! Que a gratidão desperte; que a humildade se aprofunde; que o amor se avive antes que caias adormecido esta noite.


Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: