… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

segunda-feira, 24 de abril de 2017

24 de abril


William MacDonald
Um dia de cada vez
24 de abril

“Se alguém destruir o templo de Deus, Deus o destruirá; porque o templo de Deus, que sois vós, é santo.” (1Co 3:17, ARC, Pt)

Neste versículo, o templo de Deus refere-se à Assembleia Local. Paulo não alude a indivíduos cristãos, mas, ao conjunto de crentes quando diz: “que sois vós.” Os santos em Corinto formavam o templo de Deus.



Assim como também o Apóstolo diz em 1 Coríntios 6:19, que cada crente individualmente é templo do Espírito Santo: “Ou ignorais que o vosso corpo é templo do Espírito Santo, o qual está em vós, o qual tendes de Deus, e que não sois de vós mesmos?” O Espírito Santo de Deus habita no corpo de cada filho de Deus.



Mas, no texto de hoje, temos sob consideração a Assembleia. Paulo afirma que se alguém a destruir, Deus por Sua vez destrui-lo-á. “Com o significado de destruir usa-se danificar a Igreja Local (Assembleia Local), apartando-a daquela posição de santidade de vida e de pureza de doutrina na qual deveria permanecer, 1Co 3:17, ‘destruir’, e da destruição retribuída da parte de Deus ao delinquente que é culpado deste pecado, ‘destruirá’” (W. E. Vine, Dicionário Expositivo, Vol. I).



O nosso versículo adverte que é um assunto muito sério tentar fazer mal a uma comunidade local. De facto, é uma forma de autodestruição. Apresentemos um exemplo: um homem não consegue impor a sua vontade na Assembleia. Ou tem um enfrentamento violento de personalidades com outro irmão. Em lugar de resolver o problema como as Escrituras indicam, ele vai-se embora, visita e organiza as pessoas para que fiquem do seu lado e cria uma divisão na igreja. Este grupo mal formado não se humilha, nem admite que obrou mal, e assim as coisas vão de mal a pior. Muito em breve a congregação padece de uma aberta divisão.



Ou possivelmente tratar-se-á de uma “irmã carnal” que dirige uma campanha de murmuração e maledicência contra alguém da congregação. A sua língua difamatória golpeia à dextra e à sinistra até que a igreja se enche de pleitos e amargura. Não se deterá até que a Assembleia, noutro tempo próspera, fique reduzida a escombros. Uma mulher insubmissa e critiqueira é capaz de destruir uma Igreja (Assembleia Local) se puder, e depois formar outra “igreja” ao seu gosto.



Pessoas como esta são um grande perigo porque danificaram o Corpo de Cristo, e não poderão sair impunes; porquanto o grande Deus do Universo está decidido a destruir aos que destroem a Sua assembleia. Alerta! A todos aqueles que tendem a criar fações!

Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: