… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

segunda-feira, 1 de maio de 2017

1 de maio


Oswald Chambers

My Utmost for His Highest
1 de maio FÉ — NÃO EMOÇÃO

Porque andamos por fé, e não por vista. (2 Co5:7, ARC, Pt)

Por um pouco de tempo estamos completamente cientes da preocupação de Deus para connosco. Mas então, quando Deus começa a usar-nos na Sua obra, começamos a ter um olhar triste e falamos apenas das nossas provações e dificuldades. E durante todo esse tempo Deus está apenas a tentar fazer-nos cumprir o nosso trabalho como pessoas obscuras que não estão no centro das atenções. Se pudéssemos evitá-lo, nenhum de nós estaria oculto espiritualmente. Podemos nós fazer o nosso trabalho, quando parece que Deus fechou o céu? Alguns de nós sempre queremos ser santos iluminados brilhantemente com halos dourados e com a incandescência contínua da inspiração, e tendo outros santos de Deus lidando connosco durante todo o tempo. Um santo seguro de si não tem valor para Deus. Ele é anormal, impróprio para a vida quotidiano e completamente contrário à índole de Deus. Estamos aqui, não como anjos imaturos, mas como homens e mulheres, para fazer o trabalho deste mundo. E devemos fazê-lo com um poder infinitamente grande para suportar a luta, porque nascemos do alto.

Se nós continuamente tentamos relembrar aqueles momentos excepcionais de inspiração, é um sinal de que não é a Deus que nós queremos. Estamo-nos tornando obcecados com os momentos em que Deus SE aproximou e falou connosco, e nós estamos insistindo para que Ele o faça de novo. Mas o que Deus quer que façamos é que andemos por fé. Quantos de nós nos pusemos de lado, como se disséssemos: Eu não posso fazer mais nada até que Deus me apareça! Ele nunca o fará. Vamos ter de nos levantar por nós próprios, sem inspiração e sem qualquer toque repentino de Deus. Em seguida vem a nossa surpresa e nós encontramo-nos, exclamando: Ora, Ele esteve ali o tempo todo, e eu nunca o soube! Nunca vivas em busca desses momentos excepcionais, eles são surpresas. Deus dar-nos-á os Seus toques de inspiração somente quando Ele vê que não estamos em perigo de sermos afastados por eles. Nunca devemos considerar os nossos momentos de inspiração como a forma padrão da nossa vida — o nosso padrão é o trabalho.


Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: