… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

sexta-feira, 12 de maio de 2017

12 de maio


Oswald Chambers

My Utmost for His Highest
12 de maio QUE VOS AMEIS UNS AOS OUTROS

“Acrescentai à vossa …. e ao amor fraternal, amor.” (2Pe 1:5, 7, ARC, Pt)

O amor é uma coisa indefinida para a maioria de nós; não sabemos o que queremos dizer quando falamos de amor. O amor é a preferência exclusiva de uma pessoa por outra, e espiritualmente Jesus exige que essa preferência suprema seja por Ele (ver Lc 14:26). Inicialmente, quando o amor de Deus foi derramado em nossos corações pelo Espírito Santo (Rm 5:5), é fácil colocar Jesus em primeiro lugar. Mas, em seguida, devemos praticar as coisas mencionadas em I1Pe 1 para vê-las operando nas nossas vidas.



A primeira coisa que Deus faz é forçar a remoção de qualquer falsidade, orgulho e vaidade da minha vida. E o Espírito Santo revela-me que Deus me amou, não porque eu era digno de ser amado, mas porque a Sua natureza é amar. Agora, Ele manda-me mostrar o mesmo amor pelos outros, dizendo: ... Que vos ameis uns aos outros, assim como eu vos amei. (Jo 15:12). Ele está dizendo: Eu vou trazer uma multidão de pessoas para o teu redor a quem não consegues respeitar, mas deves manifestar-lhes o Meu amor por elas, assim como eu o tenho demonstrado por ti. Esse tipo de amor não é um amor condescendente pelo ser amado— é o Seu amor, e não vai ser evidenciado em nós dum dia para o outro. Alguns de nós já tentamos consegui-lo pela força, mas logo nos havemos sentido cansados e frustrados.



O Senhor … é longânimo para convosco, não querendo que alguns se percam … (2Pe 3:9, ARC, Pt). Eu deveria olhar no íntimo e ter presente quão maravilhosamente Ele tratou comigo. O conhecimento de que Deus me amou além de todos os limites obrigar-me-á a sair para o mundo a fim de amar os outros do mesmo modo. Posso ficar irritado porque tenho de viver com uma pessoa extraordinariamente difícil. Mas basta pensar quão desagradável tenho sido eu com Deus! Estou eu disposto a ser identificado tão intimamente com o Senhor Jesus que a Sua vida e a Sua doçura seja continuamente derramadas até ao fim por mim? Nem o amor natural, nem o amor divino de Deus vão permanecer e crescer em mim a não ser que os cultivemos. O amor é espontâneo, mas tem de ser mantido através da disciplina.


Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: