… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

sexta-feira, 12 de maio de 2017

12 de maio

C. H. Spurgeon
Leituras Matutinas
12 de maio

“E me manifestarei a ele.” (Jo 14:21, ARC, Pt)

O Senhor Jesus dá ao Seu povo revelações especiais de Si mesmo. Mesmo que a Escritura não dissesse isto, há muitos filhos de Deus que o podiam testemunhar pela sua própria experiência. Eles têm tido manifestações peculiares do Seu Senhor, tal como eles não podiam conseguir de modo nenhum, meramente lendo ou ouvindo. Nas biografias de santos eminentes, acharás muitos casos nos quais Jesus Se agradou falar com as suas almas, numa maneira muito especial, e revelar-lhes as maravilhas da Sua Pessoa. Sim, assim as suas almas foram impregnadas de tanta felicidade que eles pensaram estar no Céu, visto que eles não estavam lá, conquanto estavam perto das suas soleiras, pois quando Jesus Se manifesta aos Seus, é o Céu na Terra, é o paraíso em embrião; é a glória começada. As manifestações especiais de Cristo exercem uma influência santa no coração do crente. Um dos efeitos será humildade. Se alguém disser: “Eu tive tais e tais revelações, sou um grande homem”, é sinal de que não teve nenhuma revelação, pois “Deus atenta para o humilde; mas ao soberbo, conhece-o de longe.” Ele não precisa de aproximar-Se deles para os conhecer, e nunca lhes concederá alguma visita de amor. Outro dos efeitos será felicidade, pois na presença de Deus há deleites para sempre. Segue-se-lhe a santidade. A pessoa que não tem santidade demonstra que nunca gozou da manifestação do Senhor. Alguns professam ser grandes, mas não devemos crer nada neles até que eles provem com ações o que dizem. “Não erreis: Deus não se deixa escarnecer.” Ele não dá os Seus favores ao ímpio: ao mesmo tempo que Ele não despreza o homem perfeito, tampouco atende o malfeitor. Haverá, pois, três efeitos da intimidade com Jesus: humildade, felicidade e santidade. Que Deus tas dê a ti, Cristão!

Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: