… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

segunda-feira, 15 de maio de 2017

15 de maio

C. H. Spurgeon
Leituras Matutinas
15 de maio

“Por ele é justificado todo aquele que crê.” (At 13:39, ARC, Pt)

O crente em Cristo recebe uma justificação presente. A fé não produz este fruto depois de um tempo, mas agora. A justificação é o resultado da fé, e é outorgada à alma no momento em que a fé a une com Cristo, e a alma O aceita como o seu tudo em tudo. Os que estão diante do trono de Deus, são justificados agora? Bem, assim como nós o somos; tão verdadeira e evidentemente justificados como os que andam vestidos com roupas brancas e cantam melodiosos louvores com as harpas celestiais. O ladrão da cruz foi justificado no preciso momento em que pôs a sua fé em Jesus; e Paulo, o ancião, depois de tantos anos de serviço, não foi mais justificado do que o ladrão que não tinha trabalhado nada. Nós somos hoje aceitos no Amado, hoje absolvidos do pecado, hoje ilibados no tribunal de Deus.



Oh, quanto isto arrebata a alma! Há alguns cachos da videira de Escol que não poderemos colher até que estejamos no Céu, mas este é um ramo que sobe sobre o muro. Este não nos é como o grão da Terra, que nós nunca poderemos comer até que cruzemos o Jordão; mas é parte do maná do deserto, uma porção de nosso alimento diário, que o Senhor nos dá na nossa peregrinação. Nós somos agora, agora mesmo perdoados; agora mesmo os nossos pecados são tirados; precisamente agora somos aceitos na presença de Deus, como se nunca tivéssemos sido culpados. “Portanto, agora nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus.” Agora, no Livro de Deus não há anotado nenhum pecado contra um só do Seu povo. Quem se atreverá a acusá-los? Nem mancha, nem ruga, nem coisa semelhante, fica sobre o crente a respeito do assunto da justificação, na presença do Juiz de toda a Terra. Que o presente privilégio nos desperte para o dever presente, e agora, enquanto a vida dura, gastemo-nos e deixemo-nos gastar pelo nosso glorioso Senhor Jesus.


Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: