… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

segunda-feira, 15 de maio de 2017

15 de maio


C. H. Spurgeon
Livro de Cheques do Banco da Fé
15 de maio

“Pô-lo-ei num alto retiro, porque conheceu o meu nome.” (Sl 91:14, ARC, Pt)

Dizes-me isto, a mim, SENHOR? Sim, se conheço o Seu nome. Bendito seja o SENHOR, porque não sou um estranho para Ele. Tenho-O provado, e experimentado, e conhecido, e, portanto, eu, na verdade, confio nEle. Conheço o Seu nome como um Deus que odeia o pecado, porquanto pelo poder convincente do Seu Espírito, aprendi que Ele nunca tolerará o mal. Mas também O conheço como o Deus que perdoa o pecado em Cristo Jesus, pois Ele me perdoou todas as ofensas. O Seu nome é fidelidade, e eu sei-o, pois Ele nunca me abandonou, ainda que as minhas tribulações se tenham multiplicado sobre mim.

Este conhecimento é um dom da graça, e o SENHOR converte-o na razão pela qual Ele concede outro dom da graça, isto é, pôr-me num alto retiro. Isto é graça sobre graça. Observa que se subirmos a lugares altos, a nossa posição pode ser perigosa; mas se o SENHOR ali nos põe, é segura. Ele pode levantar-nos a uma grande utilidade, a uma experiência eminente, ao êxito no serviço, à liderança entre os obreiros, ou ao lugar de um pai entre os pequeninos. Se Ele não fizer isto, talvez possa pôr-nos então num alto retiro por meio de uma comunhão íntima, um claro discernimento, um santo triunfo, e uma antecipação cheia de compaixão da Glória eterna. Quando Deus nos coloca num alto retiro, o próprio Satanás não nos pode derrubar. Oh, que este seja o nosso caso durante todo este dia!

Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: