… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

terça-feira, 16 de maio de 2017

16 de maio


C. H. Spurgeon
Leituras Vespertinas
16 de maio

“E disse: Assim diz o SENHOR: Fazei neste vale muitas covas. Porque assim diz o SENHOR: Não vereis vento e não vereis chuva; todavia, este vale se encherá de tanta água, que bebereis vós e o vosso gado e os vossos animais.” (2Rs 3:16-17, ARC, Pt)

OS exércitos dos três reis estavam perecendo por falta de água. Deus estava prestes a enviá-la, e nestas palavras o profeta anunciou a bênção que se aproximava. Aqui havia um caso de impotência humana. Nenhuma gota de água podiam todos esses homens valentes conseguir do céu ou achá-la nos poços da terra. Assim, o povo de Deus não sabe, muitas vezes, o que fazer. Vê a fatuidade da criatura e aprende por experiência onde deve achar a sua ajuda. Os crentes devem preparar-se constantemente com fé para receber a bênção divina. Têm de cavar os poços nos quais o precioso líquido poderia ser contido. A Igreja, pelas suas variadas agências, esforços e orações, deve estar preparada para ser abençoada; deve fazer os poços e o SENHOR enchê-los-á. Isto deve ser feito com fé na plena certeza de que a bênção está quase a descer. Já a seguir houve uma singular dádiva da necessitada bênção. Não como no caso de Elias, no qual as nuvens derramaram a chuva, mas numa forma silenciosa e misteriosa os poços se encheram. O SENHOR tem a Sua própria maneira soberana de obrar. Ele não está atado às formas ou ao tempo como nós o estamos, mas Ele obra entre os filhos dos homens como Lhe agrada. A nós corresponde-nos receber dEle com agradecimento e não Lhe ditar normas. Devemos também notar a notável abundância de água: houve o suficiente para a necessidade de todos. E assim acontece com a bênção do Evangelho. Todas as necessidades da congregação e da Igreja inteira serão satisfeitas pelo poder divino em resposta à oração; e, principalmente isto, a vitória será dada prontamente aos exércitos do SENHOR.

O que estou eu fazendo por Jesus? Que poços estou cavando? Oh, SENHOR, prepara-me para receber as bênçãos que Tu desejas muito conceder-me!

Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: