… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

terça-feira, 2 de maio de 2017

2 de maio

Oswald Chambers

My Utmost for His Highest
2 de maio A PACIÊNCIA PARA ESPERAR A VISÃO

“Se tardar, espera-o …” (Hb 2:3, ARC, Pt)

A paciência não é o mesmo que indiferença; a paciência transmite a ideia de alguém que é extremamente forte e capaz de resistir a todos os assaltos. Ter a visão de Deus é a fonte da paciência, porque nos dá a verdadeira e apropriada inspiração de Deus. Moisés ficou firme, não por causa da sua dedicação aos seus princípios do que era certo, nem por causa do seu senso de dever para com Deus, mas porque ele teve uma visão de Deus. ... Ficou firme, como vendo o invisível (Hb 11:27, ARC, Pt). Uma pessoa que tem a visão de Deus não se dedica a uma causa ou a qualquer questão particular, ela dedica-se ao próprio Deus. Tu sabes sempre quando a visão é de Deus por causa da inspiração que vem com ela. As coisas acontecem com grandeza e adicionam vitalidade à tua vida, porque tudo é estimulado por Deus. Ele pode dar-te um tempo espiritualmente, absolutamente sem nenhuma palavra de Si mesmo, assim como Seu Filho experimentou durante o Seu tempo de tentação no deserto. Quando Deus faz isso, simplesmente fica firme, e o poder para ficares firme estará lá porque vês Deus.



Se tardar, espera-o … A prova de que temos a visão é que estamos buscando algo muito para além do que já alcançámos. É uma coisa má estamos satisfeitos espiritualmente. O salmista disse: Que darei eu ao Senhor …? Tomarei o cálix da salvação … (Sl 116:12-13, ARC, Pt)  Somos inclinados a procurar satisfação dentro de nós mesmos e dizer: Agora tenho-a! Agora estou completamente santificado. Agora posso ficar firme. Imediatamente estamos no caminho para a ruína. A nossa busca deve exceder a nossa capacidade de compreensão. Paulo disse: Não que já a tenha alcançado, ou que seja perfeito; mas prossigo … (Fl 3:12, ARC, Pt). Se temos apenas o temos experimentado, não temos nada. Mas se temos a inspiração da visão de Deus, temos mais do que podemos experimentar. Cuidado com o perigo do relaxamento espiritual!

Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: