… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

segunda-feira, 22 de maio de 2017

22 de maio

C. H. Spurgeon
Livro de Cheques do Banco da Fé
22 de maio

“Andando eu no meio da angústia, Tu me revivificarás; estenderás a mão contra a ira dos meus inimigos, e a Tua destra me salvará.” (Sl 138:7, ARC, Pt)

Triste é andar no meio da angústia. Não, é um bendito procedimento, uma vez que há uma promessa especial para quem nele anda. Tendo uma promessa, então, qual é o problema? O que é que o SENHOR me ensina aqui a dizer? Pois ensina-me isto: “Tu me vivificarás.” Terei mais vida, mais energia, mais fé. Não acontece, muitas vezes, que a angústia nos vivifica como um sopro de ar fresco, quando estamos para desmaiar?

Quão enfurecidos estão os meus inimigos, e especialmente o (meu) Inimigo Mortal (=Satanás)! Estenderei a minha mão e lutarei com os meus inimigos? Não, a minha mão é melhor empregue no serviço do meu SENHOR. Além disso, não é necessário estendê-la, porquanto o meu Deus estenderá o Seu braço, e contenderá contra eles melhor do que eu poderia fazer se o intentasse. “Minha é a vingança, Eu recompensarei, diz o Senhor.” Ele me salvará com a Sua própria destra de poder e sabedoria, e que mais posso desejar?

Vem, minh’alma, repete para ti mesmo esta promessa até que possas usá-la como o hino da tua confiança e o consolo da tua solidão. Ora para que tu mesmo sejas vivificado, e deixa o resto com SENHOR, que faz tudo por ti.

Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: