… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

quinta-feira, 4 de maio de 2017

4 de maio


William MacDonald
Um dia de cada vez
4 de maio

“Há um caminho que ao homem parece direito, mas o fim dele são os caminhos da morte.” (Pv 14:12, ARC, Pt)

Duas vezes no Livro de Provérbios (14:12 e 16:25) faz-se notar que o juízo do homem no que respeita a qual é o caminho direito não é digno de confiar. O que lhe parece direito termina em desastre e morte. Durante a Segunda Guerra Mundial a Marinha dos Estados Unidos apresentou ao seu pessoal de voo uma vivida ilustração disto. A ideia era deixar bem esclarecido que quando voassem a grandes altitudes, sem usar oxigénio, não poderiam confiar nos seus sentidos. Fizeram entrar um piloto numa câmara de descompressão. Dentro dela, havia uma mesa e sobre ela uma folha de papel com problemas matemáticos. Uma vez lá dentro, extraiu-se o oxigénio da câmara para simular uma grande altitude. Quando o ar se fez menos denso, ordenou-se ao piloto que resolvesse os problemas, e também lhe disseram que ninguém os resolvera bem até então.

O piloto pensou que os resolveria facilmente e que podia burlar o sistema. Os problemas pareciam simples, e tinha confiança em que receberia uma alta qualificação. Não havia dúvida disso.

Quando ele terminou, a câmara foi alimentada de novo com oxigénio, ele saiu dela, e entregou o seu papel para que o corrigissem. Surpreendeu-se muito quando viu que a sua habilidade para resolver problemas tinha sido seriamente afetada pela falta de oxigénio no cérebro. A lição foi muito evidente: se voasse a grandes alturas sem oxigénio, não poderia confiar no seu próprio juízo, senão estaria à beira do desastre.

O juízo do homem foi gravemente prejudicado pelo pecado. Confia firmemente que o caminho para o Céu se obtém quando alguém se esforça por fazer as coisas o melhor que pode. Se lhe dizem que ninguém pode salvar-se pelas suas boas obras, continuará crendo que será o primeiro a burlar o sistema. Está seguro de que Deus jamais o despedirá das portas do Céu.

Mas equivoca-se, e se persistir na sua falta de “oxigénio espiritual”, perecerá. A sua segurança está em confiar na Palavra de Deus em vez de confira no seu próprio juízo. Se a pessoa obedecer à Palavra de Deus para se arrepender dos seus pecados, receberá Jesus Cristo como seu Senhor e Salvador. A palavra de Deus é a verdade, e aqueles que nela creem podem estar confiados em que estão seguindo a rota correta.

Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: