… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

sexta-feira, 5 de maio de 2017

5 de maio

William MacDonald
Um dia de cada vez
5 de maio

“Esaú... por uma refeição vendeu o seu direito de primogenitura.” (Hb 12:16, ARC, Pt)

Ocorre, muitas vezes, que os homens trocam os verdadeiros valores da vida por uma gratificação momentânea dos apetites físicos.

Isto é o que fez Esaú. Regressava do campo, cansado e faminto. Naquele momento Jacob cozinhava um guisado vermelho. Quando Esaú lhe pediu um prato daquela deliciosa sopa, Jacob disse-lhe: “Sim, mas em troca vendes-me hoje a tua primogenitura”.

A primogenitura era um valioso privilégio que pertencia ao filho mais velho de uma família. Era valioso porque lhe dava o privilégio de chegar a ser o chefe indiscutível da família ou da tribo e o direito a uma dupla porção da herança.

Mas nesse momento, Esaú considerou que a sua primogenitura não tinha valor.

Em que pode beneficiar uma primogenitura, pensou, a um homem morto de fome como eu? A sua fome parecia tão agonizante que estava disposto a dar qualquer coisa para satisfazê-la. Para acalmar o seu apetite momentâneo estava disposto a entregar algo que era de valor imperecível. E sem mais, realizou o terrível negócio!

Um drama similar volta a apresentar-se quase todos os dias. Por exemplo, eis aqui um homem que manteve um bom testemunho durante muitos anos. Tem o amor duma boa família e o respeito dos seus companheiros cristãos. Quando fala, as suas palavras têm autoridade espiritual, e o seu serviço tem a bênção de Deus. É um crente modelo.

Mas, então surge um momento de paixão bruta. Parece que o fogo da tentação sexual o consume. De repente, nada parece mais importante do que a satisfação deste impulso físico. Está decidido a tudo sacrificar por essa união ilícita, assim se entrega ao poder do desejo.

E, desta forma dá o salto desatinado! Por aquele momento fugaz de paixão, troca a honra de Deus, o seu próprio testemunho, a estima da sua família, o respeito dos seus amigos e o poder de um autêntico caráter cristão. Como Alexander Maclaren dizia, “Entrega-se aos seus desejos voltando as costas à justiça; despreza os gozos da comunhão divina; obscurece a sua alma; termina a sua prosperidade; cai sobre a sua cabeça uma catarata de calamidades pelo resto dos anos que lhe restam e faz do seu nome e da sua religião um alvo para as brincadeiras cruéis das gerações sucessivas de escarnecedores”.

Nas palavras clássicas da Escritura, vende a sua primogenitura por um prato de lentilhas.

Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: