… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

domingo, 7 de maio de 2017

7 de maio


C. H. Spurgeon
Livro de Cheques do Banco da Fé
7 de maio

“Também nada se pegará à tua mão do anátema, para que o SENHOR Se aparte do ardor da Sua ira, e te faça misericórdia, e tenha piedade de ti, e te multiplique, como jurou a teus pais.” (Dt 13:17, ARC, Pt)

Israel devia conquistar cidades idólatras, e devia destruir todo o despojo, relativamente a tudo o que tinha sido poluído pela idolatria, como uma coisa maldita, devia ser queimada com fogo. Atualmente, toda a espécie de pecados deve ser tratado pelos Cristãos do mesmo modo. Não devemos permitir que fique um só hábito mau. Agora é a guerra sem mercê aos pecados de todo o tipo e tamanho, quer sejam do corpo, da mente ou do espírito. Não consideramos esta renúncia do mal como merecendo misericórdia, mas como um fruto da graça de Deus, que de modo nenhum devemos perder.



Quando Deus nos induz a não termos misericórdia com os nossos pecados, então Ele tem grande misericórdia de nós. Quando estamos irados com o mal, Deus não está mais irado connosco. Quando multiplicamos os nossos esforços contra a iniquidade, o SENHOR multiplica as nossas bênçãos. O caminho da paz, do crescimento, da segurança e do gozo em Cristo Jesus, será encontrado quando seguirmos estas palavras: “Nada se pegará à tua mão do anátema.” SENHOR, purifica-me neste dia. Compaixão, prosperidade, crescimento e gozo serão dados, verdadeiramente, àqueles que se livram do pecado com solene determinação.


Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: