… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

domingo, 7 de maio de 2017

7 de maio


C. H. Spurgeon
Leituras Vespertinas
7 de maio
“Jesus disse-lhe: Levanta-te, toma tua cama e anda.” (Jo 5:8, ARC, Pt)

COMO muitos outros, o homem impotente tinha estado esperando que se obrasse um milagre e se desse um sinal. Estava cansado de prestar atenção perto do tanque sem que nenhum anjo se apresentasse, ou, pelo menos, se apresentasse-se a ele. Sem embargo, crendo que era esta a sua única oportunidade, ele esperava ainda, não sabendo que ali, perto dele, estava Um cuja palavra podia curá-lo num momento. Muitos estão na mesma condição: estão esperando alguma estranha emoção, alguma notável impressão ou alguma visão celestial. Eles guardam em vão e vigiam para nada. Ainda que supondo que em alguns casos se, vejam sinais notáveis, sem embargo, estes são raros e nenhum homem tem direito a esperá-los para o seu próprio caso. Nenhum homem, especialmente o que sente a sua impotência, se aproveita do movimento da água, embora este se produza. É triste pensar que dezenas de milhares estão atualmente esperando o uso de meios, de cerimónias, de votos e de resoluções, e assim esperaram em vão, completamente em vão por tempo indefinido. Entrementes estas pobres almas esquecem o presente Salvador, que as convida a olhar para Ele e serem salvas. Ele podia curá-las imediatamente, mas elas preferem esperar por um anjo ou um milagre. Confiar em Jesus é o caminho seguro para cada bênção; e Ele é digno de toda confiança. Mas a incredulidade fá-los preferir os alpendres frios de Betesda ao seio cálido do Seu amor. Oh! Que o Senhor dirija o Seu olhar sobre as multidões que estão nesta situação esta noite; que Ele perdoe o desprezo com que elas olham para o Seu divino poder e as chame com aquela doce voz, que constrange, para que se levantem do leito do desespero, e que, com a energia da fé, tomem o seu leito e andem. Oh, Senhor, ouve a nossa oração por todos os que são assim, nesta tranquila hora do pôr do Sol, e antes que o dia desponte possam eles olhar e viver!



Leitor atencioso, há alguma coisa nesta meditação para ti?


Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: