… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

segunda-feira, 8 de maio de 2017

8 de maio


William MacDonald
Um dia de cada vez
8 de maio

“E te darei os tesouros das escuridades” (Is 45:3 ARC, Pt)

Quando Deus fez esta promessa a Ciro, falava de tesouros materiais, de terras de escuridão que a seu tempo ele conquistaria. Apesar disto, creio que podemos aplicar este texto num sentido espiritual.

Há tesouros que se descobrem nas noites escuras da vida que nunca poderemos encontrar nos dias ensolarados da monotonia.

Por exemplo, Deus pode dar-nos cânticos na noite mais escura (Job 35:10) que nunca poderíamos entoar se as provas estivessem ausentes da vida. Esta é a razão pela qual o poeta escreveu:

E um trovador encantado, dos filhos da luz
Dirá da sua música deliciosa: “De noite a aprendi;”
E o cântico ondulante que satura do Pai, a mansão,
Ensaia, entre soluços, à sombra de uma escura habitação.

Há uma escuridão a que J. Stuart Holden chama: “Os mistérios inexplicáveis da vida: as calamidades, as catástrofes, as repentinas e inesperadas experiências que nos veem à vida, que apesar dos nossos cuidados, não podemos evitar. A vida escurece-se por causa delas: penas, perdas, desilusões, injustiça, mal-entendidos e calúnias.” Estas são as coisas que obscurecem a vida.

Humanamente falando, nenhum de nós escolheria a escuridão, e apesar disto, os seus benefícios são incalculáveis. Leslie Weatherhead escreveu: “Como todos os homens, amo e prefiro as ensolaradas planícies da experiência, quando abundam a saúde, a felicidade e o êxito, mas aprendi muito mais de Deus, da vida e de mim mesmo na escuridão do temor e do fracasso do que o que aprendi à luz do Sol. Na verdade, existe o que podemos chamar ‘tesouros da escuridão.’ A escuridão, graças a Deus, passa, mas o que alguém aprende estando nela, fica para sempre com ele”.


Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: