… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

terça-feira, 9 de maio de 2017

9 de maio

C. H. Spurgeon
Leituras Matutinas
9 de maio

“O qual nos abençoou com todas as bênçãos espirituais.” (Ef 1:3, ARC, Pt)

TODA a bondade do passado, do presente e do futuro Cristo concede-a ao Seu povo. Nas misteriosas idades do passado o Senhor Jesus foi o primeiro eleito de Seu Pai, e na Sua eleição Ele beneficiou-nos, pois nós fomos escolhidos nEle antes da fundação do mundo. Ele tem desde toda eternidade, como unigénito do Pai e Filho bem amado, as prerrogativas da filiação. E, nas riquezas da Sua graça, por adoção e por regeneração, Ele elevou-nos também à categoria de filhos, para isso Ele deu-nos “o poder de seremos feitos filhos de Deus.” O pacto eterno baseado na fiança e confirmado com juramento é nosso, para nosso firme consolo e para nossa segurança. No eterno estabelecimento da sabedoria e da lei, o olho do Senhor Jesus estava sempre fixo em nós; e, nós podemos estar seguros de que em todo o rolo do destino não há uma só linha que se oponha aos interesses dos Seus redimidos. Os esponsais do Príncipe de Glória são nossos, pois é connosco com quem Ele está comprometido, porque as sagradas bodas, que em breve se celebrarão, mostrarão isso ao mundo inteiro. A maravilhosa encarnação do Deus do Céu, com toda a Sua admirável condescendência e humilhação que O assistiu, é nossa. O suor de sangue, os açoites e a cruz são nossas para sempre. Quaisquer resultados bem-aventurados que provenham da Sua perfeita obediência, da Sua consumada expiação, da Sua ressurreição, ascensão ou intercessão, são todos nossos, por Sua própria oferta. Sobre o Seu peitoral Jesus está levando agora os nossos nomes; e nas Suas autorizadas intercessões perante o trono, Ele recorda as nossas pessoas e defende a nossa causa. O Seu domínio sobre os principados e as potestades e a Sua absoluta majestade nos Céus, Ele emprega-as para o bem dos que confiam nEle. A Sua alta posição está tanto agora ao nosso serviço como estava antes na Sua condição de humilhação. Aquele que Se entregou por nós nas profundezas da miséria e morte, não nos retira a concessão, agora que está entronizado no mais alto dos Céus.


Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: