… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

sábado, 17 de junho de 2017

17 de junho

C. H. Spurgeon
Leituras Vespertinas
17 de junho
“Então, Israel cantou este cântico: Sobe, poço, e vós, cantai dele.” (Nm 21:17, ARC, Pt)

O poço de Beer no deserto foi famoso por causa dele ser o tema de uma promessa: “Este é o poço do qual o SENHOR disse a Moisés: Ajunta o povo, e lhe darei água.” O povo necessitava de água, e ela foi-lhe prometida pelo seu Deus da graça. Nós necessitamos de provisões de graça celestial, e, no pacto, o SENHOR comprometeu-Se Ele mesmo a dar-nos tudo o que pedimos. O poço, em segundo lugar, foi a causa de um canto. Antes que a água brotasse, a fé alentadora estimulou as pessoas a cantar; e, ao verem borbulhar a fonte cristalina, a música tornou-se ainda mais alegre. Da mesma maneira, nós que cremos na promessa de Deus, deveríamos regozijar-nos na perspectiva de que as nossas almas gozem de avivamentos divinos, e, ao experimentá-los, o nosso gozo santo transbordará. Nós estamos sedentos? Que não murmuremos, mas cantemos. A sede espiritual é difícil de suportar, porém não é necessário que a suportemos, pois a promessa assinala-nos um poço. Animemo-nos e busquemo-lo. Além disso, o poço foi o centro de uma oração. “Sobe, poço!” Devemos demandar o que Deus Se comprometeu a dar-nos, quando não, manifestaremos que nem temos desejo nem fé. Que hoje à noite roguemos para que a passagem da Escritura que foi lida e as nossas devoções não sejam uma formalidade vazia, mas um canal de graça para as nossas almas. Oh que Deus, o Espírito Santo, obre em nós com todo o Seu poder, enchendo-nos com toda a plenitude de Deus! Por fim, o poço foi o objeto de um esforço. “Os nobres do povo escavaram-no com os seus bordões.” O SENHOR quer que sejamos ativos para obtermos graça. Os nossos bordões não se adaptam para cavar na areia, mas devemos usá-los com toda a nossa força. A oração não deve ser descuidada; as reuniões não devem ser abandonadas; o Batismo e a Ceia do SENHOR não devem ser menosprezados. O SENHOR dar-nos-á a Sua graça muito abundantemente, mas não pelo caminho da ociosidade. Então que nos movamos para buscar o SENHOR, em Quem estão todos os frescos mananciais.


Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: