… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

segunda-feira, 19 de junho de 2017

19 de junho


William MacDonald
Um dia de cada vez
19 de junho

“... E a tua força seja como os teus dias.” (Dt 33:25, ARC, Pt)

Deus promete dar força ao Seu povo em todo tempo e em proporção às suas necessidades. Não promete dá-la antes que estas se apresentem, mas quando chegar a crise, a graça estará aí para lhe fazer frente.

Quiçá sejas chamado a passar por um tempo de enfermidade e de sofrimento. Se soubesses com antecipação quão grande será a prova é possível que dissesses: “Sei que não a poderei suportar”. Mas, para teu assombro e o de outros, o apoio divino vem sempre com a prova.

Vivemos com o temor do dia em que o nosso Senhor chame os Seus seres queridos. Cremos que o nosso pequeno mundo se desmoronará e que não poderemos fazer frente à situação. Mas não devemos pensar assim. Sabemos que a presença e o poder do Senhor far-Se-ão presentes de uma maneira que nunca antes tínhamos experimentado.

Muitos de nós já estivemos à beira da morte em acidentes e situações de extremo perigo. Em vez de nos encontrarmos cheios de pânico nesses momentos, comprovámos como Deus encheu de paz as nossas almas. Sabemos que é o Senhor quem vem ajudar-nos.

Quando lemos as histórias daqueles que deram as suas vidas com heroísmo por amor de Cristo, compreendemos de uma maneira nova que Deus dá “graça de mártir para os dias do martírio”. O valor ardente dos mártires esteve além da intrepidez humana. O seu audaz testemunho veio de cima.

Preocupar-se de antemão pelas necessidades só produz úlceras. A verdade é que Deus não concede graça e fortaleza até que estas sejam necessárias. Como D. W. Whittle disse:

Nada tenho a ver com o amanhã,
do seu afã o Senhor guardar-me-á;
Se não posso pedir emprestadas a Sua força e graça,
por que emprestadas as Suas preocupações pedirei?

As memoráveis linhas de Annie Johnson Flint são sempre oportunas:

“A Sua graça é maior, se as cargas aumentarem,
A Sua força é maior, se a prova for mais cruel.
Se for grande a luta, maior será a Sua graça,
Se mais são as penas, maior é a Sua paz.

Se os nossos recursos se tiverem esgotado,
Se forças nos hão faltado, para terminarmos,
Se já estamos, a ponto, de nos desanimarmos,
Então, o tempo chegou, em que Deus obrará.”

Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: