… Mas o melhor de tudo é crer em Cristo! Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 1580)

sexta-feira, 2 de junho de 2017

2 de junho


C. H. Spurgeon
Leituras Matutinas
2 de junho

“Porque a carne cobiça contra o Espírito, e o Espírito, contra a carne.” (Gl 5:17, ARC, Pt)

NO coração de cada crente há uma luta constante entre o velho e o novo homem. O velho homem é ativo e não perde oportunidade de usar todas as armas do seu mortífero arsenal contra o recém-nascido na graça. Enquanto que por outro lado, o novo homem está sempre em guarda para resistir e destruir o seu inimigo. A graça que está em nós emprega a oração, a fé, a esperança e o amor para expulsar o diabo; ela veste-se de “toda a armadura de Deus” e luta valorosamente. Estas duas naturezas, opostas uma à outra, nunca cessarão de lutar enquanto estamos neste mundo. A batalha de “Cristão” com “Apólion” durou três horas, mas a batalha do Cristão consigo mesmo, dura toda a vida. O inimigo está tão bem entrincheirado dentro de nós, que enquanto estamos neste corpo ele não pode ser desalojado; porém, se bem que estamos estreitamente sitiados, e, frequentemente, em violentos conflitos, temos um Omnipotente ajudador, exactamente a Jesus, o Capitão da nossa salvação, que está sempre connosco, e que nos assegura que, a seu tempo, sairemos mais do que vencedores por meio dEle. Com tal apoio, o homem novo é mais do que um simples competidor para com os seus inimigos. Estás neste dia lutando com o adversário? Satã, o mundo e a carne, estão todos contra ti? Não te desencorajes nem desmaies. Continua lutando! Porquanto Deus mesmo está contigo. Jeová Nissi é a tua bandeira; Jeová Rophi é o que sara as tuas feridas. Não temas, hás de vencer; pois quem pode derrotar a Omnipotência? Continua lutando, “olhando para Jesus”; e ainda que a luta seja demorada e dura, será doce a vitória e glorioso o galardão prometido.

“De força em força continua;
Ataca, e luta, e ora,
Esmaga todos os poderes das trevas,
E vence a bem disputado luta. “

Tradução de Carlos António da Rocha

****

Esta tradução é de livre utilização, desde que a sua ortografia seja respeitada na íntegra porque já está traduzida no Português do Novo Acordo Ortográfico e que não seja nunca publicada nem utilizada para fins comerciais; seja utilizada exclusivamente para uso e desfruto pessoal.

Sem comentários: